MAHINDRA PODE COMPRAR HUMMER

Hummer / Mahindra / Mercado

MAHINDRA PODE COMPRAR HUMMER

Hummer-H2_2008_1600x1200_wallpaper_01 O futuro do mercado de utilitários-esportivos está cada vez mais incerto, mas a fabricante indiana Mahindra tem como plano criar uma renovada linha de veículos para a América. A companhia está desenvolvendo uma rede de aproximadamente 300 concessionários para vender automóveis nos Estados Unidos, com custo de 125 mil dólares para que cada loja se torne uma autorizada da marca indiana.  
Até o momento, toda a linha de veículos seria vendida sob a logomarca da Mahindra, a mesma que comercializa o Scorpio no Brasil. Porém, há também a possibilidade de a companhia adquirir os direitos de utilizar um outro nome, que possa seduzir os consumidores norte-americanos. Na lista de possibilidades, está incluso o nome da tradicional Hummer, símbolo de status, poder e até "machismo" na terra do Tio Sam. mahindra-scorpio-getaway
A General Motors, atual proprietária da marca Hummer, tem se distanciado silenciosamente de seu braço para os utilitários-esportivos pesados e não é de hoje que vem observando o fracasso em vendas. A procura do consumidor por automóveis com menores números de consumo e a sede de combustível dos veículos da Hummer têm contribuído para isso, além da crise financeira norte-americana. Por isso, a diretoria da GM não tem negado a possibilidade de vender a marca. As vendas da empresa caíram em 40% só no primeiro semestre deste ano, mas estes números não têm feito com que a Mahindra desistisse de comprar a Hummer. A marca foi uma das que disputou a aquisição da Land Rover e da Jaguar junto à Ford, concorrência vencida pela sua conterrânea – e grande rival – Tata Motors. De todo modo, a aquisição da Hummer será uma execução cara e relevante, mas também arriscada, visto que a demanda por utilitários-esportivos tem caído absurdamente nos Estados Unidos. De acordo com agências de notícias, porém, a Mahindra está disposta a comprar o nome Hummer, caso o preço seja considerado justo. Agradecimento: Matheus Q. Pera/AutoDiário