GM chega a acordo preliminar sobre a Opel com a Magna

GM / Mercado / Opel

GM chega a acordo preliminar sobre a Opel com a Magna

opel_fiat_magna A General Motors e o grupo canadense de autopeças Magna International chegaram a um acordo inicial que pode resgatar a enfraquecida Opel, braço europeu da montadora, disseram fontes próximas das negociações nesta sexta-feira (29). Ambos os lados tentavam se entender no que diz respeito, a um acordo sobre um memorando de entendimento que, poderá servir de base para um empréstimo-ponte de 1,5 bilhão de euros (pouco mais de R$ 4 bilhões) assim como uma solução para proteger a Opel de credores, caso a GM entre com pedido de recuperação judicial nos Estados Unidos. "Um esboço de acordo foi alcançado. A meta é acertar os detalhes que forem possíveis antes da reunião com Angela Merkel (chanceler alemã) para assinar o memorando de entendimento hoje", disse uma fonte com conhecimento das conversações à Reuters. Essa Intervenção do governo alemão, por sua vez, está causando insatisfação da Fiat e da Magna. Que criticaram nesta sexta-feira (29) a forma como as negociações estão sendo conduzidas pela Alemanha. A Magna, além de ter a preferência de muitos no governo alemão, havia aumentado sua proposta, após ela ter oferecido uma ajuda de US$ 500 milhões (cerca de R$ 1 bilhão) para cobrir finanças extras da Opel requeridas pela GM. Porém, o grupo canadense estaria cada vez mais frustrado com as novas exigências da General Motors. A Fiat aparenta estar com medo do acordo, após Sergio Marchionne, CEO da Fiat, afirmar que sua companhia estaria exposta a “riscos evitáveis e desnecessários” caso ela assumisse a posição de fiadora das dívidas Opel, enquanto o governo alemão desenvolve o seu plano de financiamento para a compra da mesma. Berlim está na expectatativa da oficialização do acordo entre a GM e o governo dos EUA, para autorizar o governo alemão a trazer fundos para a Opel continuar suas operações, caso a GM entre em concordata. A Alemanha quer adquirir as partes da Opel com o propósito de protegê-la dos credores da GM, caso a mesma entre em concordata. Estabelecida em Rüesselsheim, perto de Frankfurt, a Opel emprega 25 000 funcionários na Alemanha e está sob o comando da GM há 80 anos. Fonte: Reuters / Carro Online