Soul – O "bonitinho" coreano finalmente é lançado no Brasil

Kia / Lançamentos

Soul – O "bonitinho" coreano finalmente é lançado no Brasil

soul-3_thumb[5] Apresentado pela primeira vez no Brasil no Salão do Automóvel de São Paulo, em outubro do ano passado, o Kia Soul finalmente é lançado por aqui. Ele já está nas concessionárias da marca desde o início do mês. Fabricado em Gwangiu, na Coreia do Sul, o modelo chega em cinco versões de acabamento — três com câmbio manual e duas automáticas. Em todas as versões, o Soul chega com a mesma motorização. Debaixo do capô, a unidade 1.6 litro 16V de 124cv (lá fora existe ainda uma opção 2.0 l), com gasolina, esse motor faz 11 km/l, na cidade, e 13 km/l, na estrada . Mas segundo José Luiz Gandini, presidente da Kia do Brasil, disse que o motor flex já está sendo homologado, para equipa-lo já no ano que vem. A Sportage, o Picanto e o novo Cerato (que ainda deve chegar nesse ano usando o mesmo motor do Soul) também deverão ganhar propulsor bicombustível em 2010. soul-4_thumb[4] Dono de um desenho pouco comum, onde se destacam as linhas retas, e, por isso mesmo, capaz de chamar bastante a atenção dos transeuntes, a versão de entrada do Soul desembarca com câmbio manual de cinco marchas e custa R$ 51.490. Por esse preço ele traz de série ar-condicionado, direção hidráulica, vidros, travas e retrovisores elétricos, airbags frontais e freios ABS. Além da versão de entrada, há ainda outras duas opções com a mesma transmissão manual. A intermediária sai a R$ 55,9 mil, enquanto que a top custa R$ 59,9 mil. O preço mais elevado da última se deve ao fato de vir equipada com uma câmera na traseira, que transmite imagem para o visor de LCD, localizado em seu retrovisor interno, imagens da traseira, ajudando nas manobras. As rodas são de liga-leve de 18 polegadas. soul-2_thumb[3] A câmera traseira também está presente na versão top de linha com câmbio automático de quatro velocidades, que custará R$ 64,9 mil. Há também a versão automática de entrada, que sai a R$ 60,9 mil. Ambas, contudo, tem o mesmo pacote de equipamentos de série presentes nas versões manuais. Mas com uma grande oferta de opcionais, como ar-condicionado digital, teto solar, bancos em couro com sistema de aquecimento e CD Player com MP3 e entrada USB. Se o design externo foge do usual, por dentro não podia ser diferente. O acabamento é de qualidade, e o espaço e bem aproveitado. No painel quem manda é o som, com uma sofisticação nunca antes vista em um Kia. No meio de seu painel, que parece "flutuar", encontra-se um subwoofer. Além dos controles do ar condicionado e do porta-objetos.    soul-6_thumb[4] Com dimensões próximas do Fiat Stilo e garantia é de 5 anos ou 100 mil quilômetros, os executivos da Kia e seus distribuidores estão confiantes no sucesso do modelo, que segundo eles "não tem um segmento definido". Mas ele deverá atrair clientes por seu espaço interno e qualidade de acabamento. A Kia aposta na venda de 600 unidades por mês. E se ele emplacar no mercado, ele poderá fazer com que o construção da fábrica da marca no Brasil seja retomada, vindo ser feito aqui. Agora, se é bonito ou não, isso depende do cliente… soul-5_thumb[4]