Nelsinho Piquet esclarece em carta o que houve no GP de Cingapura, em 2008

F1

Nelsinho Piquet esclarece em carta o que houve no GP de Cingapura, em 2008

piquet-cingapura Nelsinho Piquet esclareceu em um documento de 4 páginas e 16 parágrafos direcionado à FIA, esse documento foi publicado na íntegra pelo site F1SA. Nele, o piloto brasileiro diz que a primeira pessoa a saber do incidente foi seu amigo Felipe Vargas, que logo repassou a seu pai, Nelson Piquet. No documento Nelsinho comenta sobre a desconfiança da imprensa e do engenheiro da equipe sobre o acidente, e diz que “um engenheiro inteligente notaria que os dados de telemetria do carro indicam que o acidente foi causado de propósito, já que continuei acelerando, enquanto que o “normal” seria frear o mais rapidamente possível”. Dados de telemetria que são as evidências mais importantes do insidente. Ao que parece, Fernando Alonso sabia do que estava acontecendo. Naquela corrida, ele largou leve acreditando apenas em fazer uma primeira parte mais agressiva, mas um problema na corrida de classificação fez com que tudo acontecesse. Piquet diz ter concordado com o acidente, pensando que isso facilitaria a renovação de seu contrato, o local onde ele bateu era estratégico. Como ali não havia guincho para retirar o carro, o safety-car teria que entrar, dando vantajem a Alonso. Ainda assim, Nelsinho foi demitido da Renault no inicio de agosto. Renault vai processar Nelsinho Por causa do depoimento, a Renault iniciou um processo criminal contra Nelsinho Piquet e seu pai, Nelson Piquet, por declarações falsas e tentativa de chantagem. O processo foi inicido pela equipe Renault e por Flavio Briatore, seu presidente, na França. Eles consideram falsas as alegações de Nelsinho e a tentativa de chantagem que permitiria que ele continuasse a pilotar no resto da temporada. Pat Symonds, diretor técnico da escuderia afirma que causar o acidente foi uma sugestão do próprio Nelsinho, mas segundo ele, a sugestão não foi aceita.