O avanço da Volkswagen em 2009

Ponto de Vista / Volkswagen

O avanço da Volkswagen em 2009

Fox1[3] A postagem estava programada para o dia 1º de dezembro, mas um dia de atraso não faz mal. Estamos no último mês de 2009. Vejamos nossa visão de mercado na Volkswagen em dezembro de 2008: o Gol G5 havia sido lançado há pouco tempo, e não haviam informações concretas sobre a Nova Saveiro e o Novo Fox. Amarok, então, era apenas um conceito. Vamos retornar ainda mais, para antes do lançamento do Gol G5, que à época era chamado de Gol NF (Neue Familie, ou Nova Família em alemão). A expectativa era grande, o Gol G4 já não agradava mais (e nunca agradou, com seu acabamento reprovado por muitos donos e sites especializados). A curiosidade de um carro novo acabara com o vazamento das fotos do Novo Gol no dia 23 de junho. Voyage1 Nunca a Volkswagen desejara tanto o fígado de certas pessoas, mas isso é um outro assunto completamente desnecessário. O "boom" do vazamento das fotos foi, publicitariamente falando, muito melhor que fotos oficiais no I-Motiondia do lançamento. Passado o alvoroço, vieram algumas críticas. Nada demais pois, na minha opinião, fora um dos mais belos Volkswagen produzidos no Brasil. Logo após, ressurgiu das cinzas o Voyage, após muita polêmica sobre seu novo nome, que poderia ser Gol Sedan ou Luna, que acabou vindo como Voyage, para a felicidade de muitos fãs da montadora. Logo após, veio a Saveiro. Não foi o mesmo alvoroço que no lançamento do Gol G5, pois a dianteira já era conhecida, mas a traseira impressionou muitos – positivamente e negativamente. Eu, que entrei em uma na semana do lançamento, gostei do resultado final. Eis que surge o câmbio I-Motion, disponível no Polo, Gol e Voyage. O I-Motion é um câmbio automatizado, "concorrente" do Dualogic da Fiat e do Easytronic, da Chevrolet. FoxTrend1 Passado o lançamento da Saveiro e do I-Motion, a Volkswagen retornou ao seu cantinho no mercado brasileiro, até que estourou, literalmente, o escândalo dos motores 1.0 VHT, com riscos de explosões e entre outros problemas, o que afetou e continua afetando as vendas da marca. É lançado o Agile, da Chevrolet, o principal concorrente do Novo Fox, que nem havia lançado. Quase um mês depois o Novo Fox é revelado, com a tentativa fracassada de ofuscar o modelo da Chevrolet (pelo contrário, os dois foram comparados com outros modelos como Sandero e não perderam destaque, embora o Agile tenha saído na frente neste quesito). CrossFox 2010 (9)[4] O Novo Fox por si já é inovador: largou sua cara de bonzinho para uma de invocado, interior refinado (podendo ter volante do Passat CC), câmbio I-Motion como opcional, e além de tudo isso, é a cara do Novo Polo europeu. E isso é bom, haja vista que o Novo Fox básico não custa uma fortuna e não substituiu o Polo como muitos temiam. A Volkswagen começa a evoluir no mercado brasileiro.  Não posso deixar de dar espaço ao CrossFox que, embora seja mais Fox do que Cross, evoluiu e está mais bonito e "limpo" que o anterior. Em geral, ficou muito bonito, assim como o Fox. A SpaceFox permanece a mesma até agora, mas a nova promete: lanternas em leds poderão~ser destaque no modelo. space final copy[10][19] O último lançamento, não menos importante, é o da Amarok. Embora muitos flagras tenham sido feitos recentemente, a imagem oficial sempre é essencial para um veredicto final. E, convenhamos, a picape ficou espetacular! Design refinado, limpo e ao mesmo tempo agressivo. Mas acima de tudo, sóbria. Ela ainda não foi lançada, mas após a chegada da Volkswagen no mercado de picapes médias e o "boom" da imprensa automotiva, a picape deve fazer sucesso, embora as expectativas de preço preocupem muita gente (entre R$ 80 mil e R$ 120 mil). Amarok1 Termino o texto por aqui. Espero que tenham gostado, e fiz um breve resumo do avanço da Volkswagen nos últimos meses, mesmo com os escândalos. A montadora até agora está de parabéns e, com exceção dos motores, só tem adquirido comentários positivos de grande parte da imprensa automotiva. E ela deve continuar assim, afinal ano que vem a Volkswagen terá 13 lançamento. Ela – e nós, consumidores – só teremos a ganhar. Amarok2Amarok3

Veja também | Vem aí Saveiro automatizada, Novo Gol GTi e duas portas, Volkswagen anuncia investimento de R$ 6,2 bi para o Brasil nos próximos 5 anos.

  • Eduardo T. Küll

    Concordo com a maior parte do consta aqui, mas a questão é que em outros segmentos a empresa não oferece nada. No caso do Polo, um carro excelente, mas que já mudou lá fora, nada. Pior, quando se fala, o que a gente ouve é a respeito de um sedan compacto com base no novo modelo querendo peitar o Civic e o Corolla, exatamente como a Fiat vem tentando fazer com o Linea, com os resultados pouco acima da classificação de PÍFIOS e ainda por cima, vindo do México, um mercado em franca decadência de vendas, tanto por sua dependência dos EUA, quanto pelo fato de estar estagnado em vendas de um milhão de unidades/ano, sem conseguir sair disso, mesmo com incentivos governamentais e agora, com dois, quase três anos de vendas em queda. Quer dizer, a montadora está investindo LÁ, quando o grande mercado, aquele que cresce e que está dando lucro É AQUI. Ou seja, o mercado brasileiro vai sustentar boa parte da razão de existência da unidade mexicana.
    Depois, tem o problema do Golf. Um carro bom, mas antigo, sem novidades, SEM MELHORIAS REAIS. Quando do lançamento do mesmo chegou-se a falar da vinda do mesmo para este ano e aí, tivemos a crise internacional. Hoje, isso é história e agora, com o euro na média de R$ 2,59, com desonerações de investimentos dadas pelo governo do Brasil, com boas taxas de juros do BNDES, nada se fala do carro. As condições econômicas por aqui são exatamente as mesmas de antes da crise e, tirando-se a inflação, o valor do euro está até mesmo MAIS BAIXO do que naquele momento. No máximo, se fala da vinda do carro lá para 2.012, quando o atual modelo vai estar encerrando seu ciclo no restante do mundo, ou seja, não serve mais para lá, não vende, manda para o Brasil que com o lucro, a gente sustenta as operações deficitárias (hoje, EUA, México e até mesmo alguns países da Europa).