Montadoras chinesas apresentam metas ambiciosas

Brasil / Chery / Jac / Lifan / Mercado

Montadoras chinesas apresentam metas ambiciosas

J3 turin
O investimento das montadoras chinesas no país parece estar dando retorno. Beneficiadas pelo câmbio, montadoras como Chery e Jac crescem no mercado oferecendo produtos com custo-benefício atrativo. A participação das montadoras chinesas nas vendas ainda é discreta: não somam 2% do mercado (VEJA). A Jac chegou investindo pesado no Brasil: dos R$ 380 milhões de totais, cerca de um terço foi destinado ao marketing. No primeiro dia de vendas, mais de um milhão de reais foram gastos em publicidade nos principais portais brasileiros de internet. A Jac investiu em marketing de forma agressiva: em um só dia abriu 50 concessionárias pelo país, e stands de exposição em shoppings pelo país inteiro. Chery e Jac saem na frente das outras montadoras chinesas. A Chery, que chegou discretamente em 2009, oficializou seu projeto de abrir uma fábrica em Jacareí (SP) e anunciou um investimento de US$ 400 milhões. A montadora quer, até 2013, atingir uma capacidade de 50 mil veículos por ano. A Jac não ficou atrás e pretende, também, construir uma fábrica no Brasil, a primeira fora do território chinês, que pretende investir cerca de US$ 600 milhões. As chinesas estão crescendo bastante no país. O custo-benefício, fruto do baixo custo de produção na China e vários itens de série, tem sido um atrativo e vem roubando mercado de concorrentes diretos. A Jac apresentou o J3 que vem equipado com ar-condicionado, direção hidráulica, vidros, travas e retrovisores elétricos, air-bags dianteiros, rodas de liga leve 15” e outros itens de série pelo preço de R$ 37.900. chery_qq_3_f_001
Das grandes montadoras, o modelo que mais chega perto em nível de equipamentos e preço, é o Fiesta Rocam. Em maio, o hatch da Ford teve seus preços reduzidos, ao mesmo valor do J3. A Chery com o compacto QQ, já foi dona do título de “carro mais barato do país”. O compacto, recém chegado ao país, ultrapassou o conterrâneo J3 em vendas, no mês de agosto. O pequeno da Chery emplacou 1.893 unidades, desbancando o Jac J3 que vendeu 1.535 unidades. Em terceiro lugar, o sedan J3 Turin emplacou 1.060 unidades, em quarto o Chery Face com 677, e em quinto o Jac J6 que, no seu primeiro mês completo de vendas, alcançou 493 unidades. As montadoras chinesas estão dispostas a crescer. Quem ganha é o consumidor que terá mais opções e as que já estão no mercado, tentam manter preços competitivos. Reflexo da chegada das chinesas no mercado brasileiro. As metas das montadoras chinesas são ambiciosas. Se o brasileiro vai cair nas graças das chinesas, alguns anos de mercado serão o necessário para saber.