Caso Volt: incêndio em uma unidade do modelo balança a GM

Cadillac / Chevrolet / GM / Híbridos / Opel

Caso Volt: incêndio em uma unidade do modelo balança a GM

Chevrolet-Volt_2011_1600x1200_wallpaper_04 Acontecimentos relacionados ao Chevrolet Volt nesta semana tem virado Detroit de cabeça para baixo. Tudo começou com um teste de colisão com um Volt, a princípio para testar a segurança do modelo. Três semanas depois do teste, o mesmo veículo se incendiou. Após uma rápida investigação, a Chevrolet chegou à conclusão que a colisão poderia ter contribuído ou até mesmo causado o incêndio, o que é gravíssimo. Desde então, a GM já anunciou o empréstimo de carros para donos do Volt que se sintam inseguros, a recompra dos Volts desses mesmos donos e o cancelamento temporário do Opel Ampera, o Volt europeu. As primeiras informações sobre o assunto foram divulgadas pelo canal norte-americano Bloomberg. O defeito estaria nas baterias de lítio do modelo. Ironicamente, o Volt foi considerado um dos veículos mais seguros do teste. A GM já se pronunciou oficialmente diversas vezes, sempre pedindo calma aos proprietários. Vale ressaltar, novamente, que o Volt em questão só pegou fogo três semanas após o teste. A montadora está investigando o caso, e já se prontificou a emprestar carros aos donos receosos e até mesmo comprar estes Volts de volta. O NHTSA, órgão oficial de segurança viária norte-americano, abriu um caso formal para investigar o assunto. Após o ocorrido no crash-test, três testes foram realizados de forma que as baterias fossem danificadas propositalmente, assim como no teste realizado dias antes. Destes três testes, realizados com três unidades diferentes, dois Volt pegaram fogo. O órgão ressalta ainda que quem se envolvera em uma colisão leve com o Volt não tem com o que se preocupar, e que não acha que os veículos elétricos e híbridos estão mais propensos a incêndios que os movidos a combustão. Chevrolet-Volt_2011_1600x1200_wallpaper_55 Esse cuidado com as palavras ocorre devido à insegurança de algumas pessoas em relação a este mercado recente de carros ecológicos. Qualquer polêmica poderia se transformar boatos ou até mesmo gerar interpretações errôneas sobre o assunto, e isso é o que o NHTSA – e a GM, principalmente – menos querem atualmente. E, é claro, ambas estão certíssimas. Isso lembra o episódio do primeiro carro elétrico da marca, o EV1. Ele foi fabricado exclusivamente para o aluguel de carros, e em 2004, a Chevrolet recolheu todos os carros e os destruiu. Daquela vez, porém, não houve razão aparente. Qualquer reação dos consumidores contradiria a pesquisa divulgada recentemente pela Consumer Reports, onde 93% dos donos de Volts entrevistados disseram que comprariam o mesmo veículo novamente, sendo o melhor pontuado entre os vendidos nos EUA. Além disso, a marca já está preparando mudanças urgentes no desenho das baterias de íons de lítio para evitar futuros acidentes, mesmo que ainda não esteja totalmente provado que o incêndio tenha começado lá, apesar de tudo apontar que sim. Não se sabe se os Volt produzidos com o antigo sistema de baterias passarão por um recall. Ainda segundo a GM, o hiato entre o início do incêndio e a colisão pode, indiretamente, significar que o Volt jamais se incendiaria logo após um acidente. Uma drenagem da bateria após um acidente evitaria o ocorrido, caso algum acidente ocorra antes da conclusão das investigações. A marca afirmou que não houve, até agora, nenhum caso de incêndio que possa ter relações com o caso. Chevrolet-Volt_2011_1600x1200_wallpaper_7b Justamente pelas investigações ainda não estarem concluídas, a GM optou por cancelar o lançamento e as vendas do Opel Ampera na Europa temporariamente. O Ampera é, em sua essência, um Volt modificado com as linhas da Opel. Segundo a matriz americana, as vendas só serão iniciadas ao fim da investigação e após a criação de uma solução para o problema. O Volt e o Ampera saem da mesma fábrica em Detroit (EUA). Isso poderá ou não afetar o Volt de luxo da GM, que será fabricado pela Cadillac. Porém, o processo será facilitado por ser um carro apresentado apenas conceitualmente até agora. Desta forma, a GM precisa agir com passos leves para não gerar um pânico generalizado entre os proprietários do sedan híbrido. Em todo o caso, isso certamente afetará a imagem do Volt durante algum tempo. Cabe à GM agir a tempo para impedir uma queda nas vendas. A investigação deverá ser concluída dentro de algum tempo. Aguardemos as próximas notícias sobre o assunto, e que torçamos para que a GM não cometa os mesmos erros de seu passado em relação a carros ecologicamente corretos.

Com informações do Autoblog en Español, MotorDream