Lifan e Effa anunciam investimentos na América do Sul que incluem fábrica no país

Brasil / Effa / Lifan

Lifan e Effa anunciam investimentos na América do Sul que incluem fábrica no país

Lifan
Um acordo assinado na cidade de Congqing, na China, oficializou a intenção da Lifan e da Effa de fincarem raízes no Brasil. Um joint-venture foi formado entre a marca e a Effa, que é a sua administradora. Com isso, foi formada a Lifan Motors do Brasil, que atuará em toda a América do Sul. Desta aliança, frutos como a criação de uma fábrica no país e a ampliação da fábrica já existente no Uruguai irão beneficiar ambas as montadoras. Um investimento de 120 milhões de dólares será aplicado na ampliação da fábrica uruguaia, que passará a produzir 50 mil modelos por ano, 30 mil a mais do que a produção atual. Já a fábrica brasileira não teve valores divulgados, mas espera-se que ela produza 100 mil unidades anuais. Apesar de não estar claro, é muito provável que esta fábrica produza também veículos da Effa. Com isso, quatro novos modelos serão lançados no Brasil e, muito provavelmente, serão produzidos por aqui. São eles o 520, um hatch maior que o 320, e que inclusive esteve no Salão de São Paulo de 2010, o crossover X60 e o utilitário Foison em suas versões picape e van. A Lifan prevê a construção de mais 50 concessionárias pelo Brasil, atingindo, no total, 100 revendas, abrangendo todas as capitais brasileiras, além das principais cidades. Não há dados sobre a expansão da rede da Effa, que possui pelo menos 73 autorizadas ao redor do Brasil. Sua expansão em cidades do interior também contribuiu para a sua popularização. Não se sabe se a produção em território brasileiro irá contribuir para uma qualidade de acabamento superior. Isso ainda é uma incógnita, haja vista que nenhuma montadora chinesa possui fábricas operando no Brasil por enquanto. Apesar disso, os Lifan são produzidos no Uruguai, país vizinho do Brasil, e a qualidade de produção não é criticada, apesar do acabamento não ser de primeiro mundo. Se esses quesitos melhorarem, ela terá argumentos suficientes no mercado.

Com informações da Car and Driver Brasil