Os sites das fabricantes aqui e lá fora

Brasil / Mercado

Os sites das fabricantes aqui e lá fora

URL
Você quer comprar um carro e não sabe exatamente qual. Suas alternativas em 1985 seriam abrir um jornal, uma revista automotiva ou deslocar-se até uma concessionária de uma montadora de sua escolha. Com o crescimento sem precedentes da Internet nos anos 1990, as montadoras viram nos sites uma oportunidade sem igual para aproximar o cliente de seus produtos. Nascia ali uma forma de ser representada digitalmente. Hoje um dos primeiros contatos do consumidor com a fabricante. No Brasil, atualmente, todas as montadoras atuantes no mercado brasileiro – com exceção de algumas importadas e exóticas – têm seu próprio espaço na Internet. Em sua maioria, são sites com visuais atraentes e navegação de fácil compreensão, bem como recursos importantes como o “Monte o Seu”. Na teoria, são os fatores obrigatórios para qualquer site de uma montadora. Mas e na prática? Reunimos aqui os sites das cinco fabricantes que mais venderam em 2011 no Brasil, e, como parâmetro, comparamos os sites brasileiros com o site do país de origem da montadora e com o site argentino da marca, já que o país é o segundo maior mercado automotivo da América do Sul.  Veja, agora, o comparativo abaixo.

1 – Fiat

Fiat1 

Líder do mercado há vários anos, a Fiat evoluiu bastante com sua linha de carros. Seu site é bem organizado e objetivo e vem acompanhando essa evolução. Apesar disso, a página da tabela de preços das revisões é um tanto escondida. O HTML é bonito, mas, ao compararmos com o site italiano, falta uma página de exibição da linha de modelos mais atrativa. O “monte o seu” tem é um dos melhores no Brasil.

Desde o lançamento do Novo Uno em 2010, a marca passou a criar hotsites específicos para seus modelos novos lançados desde então, abrangendo atualmente a Idea, o Punto, o Bravo, o 500 e o novo Palio. Com isso, a ferramenta do Monte o Seu ficou mais objetiva e ilustrada. Algo mais palpável, com diversas imagens de equipamentos e acessórios. Apesar disso, sem razão aparente, o Uno não conta mais com essa opção, ou seja, apenas a versão clássica está disponível. Bola fora da Fiat. Fiat2
A página italiana é, no entanto, mais simples e, ao mesmo tempo, mais atrativa. A diferença fica pelo emprego de cores mais claras na página inicial, enquanto a brasileira usa um tom escuro de cinza. Um jogo de imagens com fontes certas e modernas facilita um ambiente virtual mais, se é que isso é possível, “aconchegante”. O site argentino é mais simples, mas não tem a mesma harmonia que o italiano e até mesmo que o brasileiro. Ou seja, nesse caso, o nosso é bem melhor – mas não tanto quanto o italiano. Fiat3

2 – Volkswagen

VW1 

Se esse texto tivesse sido escrito há dois meses, a Volkswagen certamente seria criticada. Não que seu site fosse ruim, mas era desatualizado em relação aos outros ao redor do mundo. Algo como comparar Gol G4 com Up!. Apesar disso, a Volkswagen deu uma mexida leve no site, tornando-o mais prático e bonito. Tal como faz em seus carros, a sobriedade e simplicidade se faz presente no site da marca. O configurador, no entanto, é pouco claro e as maquetes dos carros não parecem tão realistas. VW2
Em relação ao site alemão, não há grandes diferenças, ao contrário da linha de carros em comparação com a nossa. O configurador é o mesmo, mas as informações são mais completas – abrangem desde o consumo até o nível de emissões (ok, não encontramos isso no site de nehuma). Mesmo assim, é pouco prático tal qual como a página brasileira.
VW3

Já o site argentino mantém o padrão adotado pelo site brasileiro até pouco tempo atrás. Deve ganhar as mudanças logo em breve. Se for visitá-lo, não olhe para a lista de visitantes se você for um gear head fanático e gostar do Golf GTi.

3 – Chevrolet

GM1 

Já a montadora norte-americana possui um dos sites mais bonitos. Apesar disso, tem um histórico de problemas. Até alguns anos, seu configurador não funcionava em certos navegadores. Hoje, ele funciona, embora ele seja simples ao extremo e não acolha muitas informações. É porque, ao contrário da Fiat, a GM possui pacotes fechados de opcionais, oferece poucos opcionais avulsos e não identifica os equipamentos extras de cada uma delas. A lista de modelos é dividida por categorias. Apesar disso, se você selecionar o modo de visualização da linha inteira, prepare-se para ver o Classic na sua geração antiga e a ausência da S10, que acaba de ser lançada. GM2
O site norte-americano é bem superior. O padrão utilizado pelo Brasil é o mesmo dos países da América Latina, mas para o país onde está matriz ele é muito mais claro, bonito, prático e completo. Será que até na divisão de sites os países emergentes ficam com sites low-cost? O argentino segue basicamente as mesmas características da página brasileira.
GM3

4 – Ford

Ford1 

Esse é o exemplo de comparação entre sites mais gritante da lista. O site da Ford não é um exemplo de harmonia. Os links remetem aos sites do início do século, o configurador é eficiente porém sem graça, e a divisão por categorias poderia ser mais harmoniosa. Não se trata de uma crítica de um designer especializado. O site parece largado no tempo, assim como parte de seus modelos.
Ford2

O parâmetro para esses argumentos é o site norte-americano da marca. Infinitamente mais prático e bonito, o site leva o conceito de simplicidade aliado à uma boa eficiência. O configurador também é inegavelmente mais eficiente. O conceito One Ford pretende unificar as linhas de carros da Ford até 2014 aqui no Brasil. Esperamos que os sites, tão importantes por representarem a montadora, sigam esse preceito. Ford3
O site argentino se aproveita da cor do logotipo oval e tem alguns tons sem noção, como o antigo site norte-americano, e a página de loading parece o visor digital do ar-condicionado de um Chery. Apesar disso, a home é bem interessante e a navegação, em comparação com o Brasil, é indiferente. Apesar disso, parece mais organizado que o brasileiro. Em resumo, a urgência de uma atualização é iminente em ambos os sites latinos.

5 – Renault

Renault1 

Lembra da Dacia? Ela produz carros simples, com menos componentes em sua composição do que os Renault, o que os faz baratos. No entanto, são resistentes, confiáveis, atraentes para alguns, simples e objetivos. É mais ou menos como esse site. Ele não é cheio de recursos em java ou flash. Os tons são agradáveis a quem acessa. O configurador não é cheio de recursos visuais como o da Fiat, mas é bem eficiente e é razoavelmente esclarecedor. A navegação entre os modelos também é elogiável, apesar de não haver a separação por categorias. Renault2
O site francês não está muito distante do brasileiro, mas a separação por categorias se faz necessária pela linha claramente maior em relação à oferta de veículos da marca no Brasil. Ainda assim, é bem mais moderno, embora não seja nada gritante. Essa simplicidade caiu bem: cores claras e sem exageros no uso de flashes e javas para evitar erros no carregamento das páginas. A cara de uma marca francesa. Renault3 O site argentino é diferente no que diz respeito à arrumação, mas também parece prático e eficiente. Dentre as cinco montadoras, é a que mais se aproxima de um padrão na comparação entre os sites determinados pelo parâmetro deste “tira-teima”. Talvez porque os franceses gostem de objetividade e os italianos, algo que os façam dizer “Mamma mia!” e gesticular com as mãos. Por isso, conclui-se que entre as cinco grandes montadoras, há um descaso enorme em relação aos sites estrangeiros. Se GM e Ford tivessem sites como os norte-americanos, certamente teriam muito a ganhar em publicidade, já que eles incentivam a navegação pelo conteúdo moderno e pelo design equilibrado. Até este parágrafo ter sito terminado, 2.179.298 Unos haviam sido montados no site. Obviamente não foram vendidas dois milhões de Unos até agora, mas isso é um reflexo da diversidade de opções de personalização do Uno, já que o contador provavelmente não considera apenas IPs, e sim carros montados (difícil será conseguir um carro exatamente da forma que você quer…). O site da Renault e da Volkswagen europeus revelam outro fator interessante e que faz falta no Brasil: o nível de emissões explícito, já que as montadoras, por lei, devem divulgá-los em suas páginas virtuais por lá. Como o Inmetro passará a medir o nível de poluição dos carros brasileiros, isso pode tornar-se obrigatório dentro de algum tempo. Ou não. É como aquela velha história: você pode adorar uma montadora, mas se for à concessionária mais próxima e encontrá-la suja, com funcionários furiosos e ter que vestir luvas para abrir a porta de um carro no show-room, você vai ter uma má imagem da marca. Sites são, puramente, imagens projetadas no seu monitor, mas na maioria das vezes, o primeiro contato com o consumidor. Se as montadoras não tem uma boa imagem, não serão vistas positivamente. É por isso que a Fiat, líder, tem o site que eu considero o melhor dentre todas as montadoras aqui. Outro site elogiável é o da Kia e o da JAC, todos bem completos e de boa aparência, que só não entraram na lista por esta contemplar apenas as cinco grandes. Grande parte do sucesso estrondoso que as marcas fizeram deve-se, muito provavelmente, à publicidade dos… Sites. Talvez não seja apenas à toa que o quarto lugar da Ford esteja sendo ameaçado pela Renault.