Venezuela entra para o Mercosul, mas não quer acordo automotivo

Brasil / Mercado

Venezuela entra para o Mercosul, mas não quer acordo automotivo

venirauto
A Venezuela passa a fazer parte do Mercosul a parttir de hoje (31). Hugo Chávez comemora, mas a indústria automobilística local teme a invasão de carros importados dos países parceiros, principalmente do Brasil e da Argentina. A Câmara dos Fabricantes de Veículos Automotores da Venezuela (Favenpa) enviou uma carta ao ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Nicolas Maduro, pedindo a exclusão do segmento. Centaurp
A Favenpa usa como argumentos a regra que estipula a utilização de 50% de peças locais na montagem de carros a partir de 2013 e também o tamanho dos outros mercados. A produção de carros no Brasil é 34 vezes maior que a venezuelana, enquanto a argentina é oito vezes maior. Nas autopeças, enquanto  a Argentina exportou 200 vezes mais do que a Venezuela, o Brasil aumenta a diferença para 1.100 vezes. Isso considerando dados de 2010. Fabricantes que atualmente produzem na Venezuela são: Chrysler, Ford, Fuso, General Motors, Hyundai, Mitsubishi e Venirauto, fabricante estatal surgida de parceria com o Irã que vende dois sedãs derivados de projetos da Peugeot com mais de 20 anos: o Turpial, equipado com motor 1.3 de 61 cv e 10,5 mkgf de torque, e o Centauro, com motor 1.7 de 97 cv e 14,5 mkgf. Fonte | El Universal