Audi A3 Sportback g-tron é mais uma atração do Salão de Genebra

Audi / Salão de Genebra

Audi A3 Sportback g-tron é mais uma atração do Salão de Genebra

Versão pode rodar com gasolina ou metano sintético (e-gas)

Audi-A3-g-tron-1[2]
Além da versão e-tron, elétrica, o Audi A3 estará representado no Salão de Genebra também por sua versão g-tron, que por sua vez conta com sistema mecânico movido à gás de última geração. Nesta versão, que começa a ser vendida na Europa no final do ano, o A3 pode percorrer até 400 km utilizando somente gás, o que pode chegar a 900 km utilizando também gasolina. Audi-A3-g-tron-4[2]
O A3 Sportback g-tron tem dois tanques situados sob o assoalho do porta-malas que podem comportar 7 kg de gás, a uma pressão máxima de 200 bar. Cada tanque pesa 27 kg a menos do que os convencionais. Eles são feitos de poliamida, fibra de carbono e fibra de vidro reforçados com plástico e resina epóxi.
Audi-A3-g-tron-3[2]
Outro aspecto que merece destaque no Audi A3 Sportback g-tron é o regulador eletrônico da pressão do gás, que diminui a pressão elevada com que o gás é expelido dos tanques em duas fases, até que ela se estabilize entre 5 a 9 bar. Desse modo, a pressão do gás nas válvulas de admissão será sempre adequada: baixa numa condução visando economia, ou alta quando o condutor exige potência do motor. E quando a pressão nos tanques de gás baixar dos 10 bar, a propulsão do A3 Sportback g-tron se converte automaticamente para gasolina.
Audi-A3-g-tron-7[2]
Os números de potência do motor 1.4 TFSI são idênticos, independente do combustível usado: 110 cavalos e 200 Nm de torque, capazes de levar o A3 Sportback g-tron até os 100 km/h em 11 segundos e à velocidade máxima de 190 km/h. Já o consumo médio a 100 km/h não passa dos 3,5 kg de gás (natural ou Audi e-gas). Por outro lado, as emissões de CO2 ficam abaixo dos 95 g/km. As modificações mais relevantes em relação ao motor 1.4 TFSI movido somente a gasolina estão nos sistemas de turbo e injeção, além do catalisador.
Audi-A3-g-tron-8[2]
A previsão é que os donos do Audi A3 Sportback g-tron adquiram as quantidades de e-gas assim como se reabastece modelos elétricos, com estações espalhadas pelos grandes centros urbanos. O e-gas é nada mais que metano sintético que será fabricado na quase finalizada unidade de Werlte, na Alemanha. A quantidade de Audi e-gas que será produzida em Werlte é suficiente para até 1.500 A3 Sportback g-tron percorrerem anualmente 15.000 km, cada um com emissões neutras de CO2.
Audi-A3-g-tron-9[2]