Holden permanecerá na Austrália, ao menos por enquanto

Holden

Holden permanecerá na Austrália, ao menos por enquanto

Fabricante negocia com governo local benefícios para os próximos 10 anos

vf-calaisv-show-car-01
A General Motors poderia ter ficado mais tranquila com o anúncio feito pela Ford na última semana, que fechará suas duas fábricas na Austrália até 2016. Mas não é bem assim. A divisão australiana da GM, Holden, também sofre com o principal fator que resultou na decisão da Ford, o custo de produção. Ao menos a Holden não fala ainda em tomar a mesma decisão. Segundo declaração da Ford, o custo de produção de automóveis na Austrália chega a ser duas vezes maior que o da Europa e quatro vezes maior que o de seus vizinhos asiáticos. Mike Devereux, presidente da Holden, declarou que a relação de sua empresa com a Austrália é mais sólida do que a da Ford, e que no momento negocia com o governo local benefícios para um investimento de 1 bilhão de dólares para os próximos 10 anos, que envolve a produção local de automóveis globais da GM. Desde a década de 70 Holden Commodore (vendido no Brasil entre 1999 e 2012 como Omega) e Ford Falcon disputam clientes, muito adeptos a sedãs full-size. Uma peculiaridade são as versões UTE (picape) dos dois, que também possuem versões V8 e sobrealimentadas.