IPI volta a subir em janeiro

Brasil / Mercado

IPI volta a subir em janeiro

Alíquota voltará ao patamar original em julho

Para-setor-IPI-reduzido-ajuda-a-manter-vendas-programadas
Após dois adiamentos de última hora, um em dezembro passado e outro em março, o governo resolveu sair da zona de conforto e aumentar gradativamente IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) a partir de janeiro, até chegar aos valores anteriores à redução. Apesar dos pedidos das montadoras e do impacto sobre os preços, este aumento já estava previsto pelo Inovar Auto, criado pelo governo para estimular a produção local de automóveis. Sendo assim, preços poderão ser aumentados em até 2,2% para o consumidor final nas próximas semanas, voltando à alíquota normal em 1° de julho. Confira a tabela: Motores 1.0 flex ou menor — 3% até 30/6; após, 7%
Motores de 1.0 e 2.0 flex — 9% até 30/6; após, 11%
Motores de 1.0 a 2.0 a gasolina — 10% até 30/6; após, 13%
Utilitários — 3% até 30/6; após, 8% A Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) declarou que o aumento, somado a outras circunstâncias, terá impacto nas vendas. "Acreditamos que os aumentos estão acima de nossas expectativas iniciais e ainda não podemos fazer prognósticos detalhados dos impactos no mercado, mas é importante lembrar que um ponto porcentual adicional de IPI, no caso dos (automóveis) populares, representa o acumulado de dois meses de inflação, e certamente com impacto no volume de vendas", afirmou Luis Moan, presidente da Anfavea.