Cuba libera venda de veículos sem autorização estatal

Mercado

Cuba libera venda de veículos sem autorização estatal

Entretanto, preços são abusivos: Peugeot 508 custa a partir de R$ 617 mil

Havana-Cuba-4 Até 2011, os cubanos só podiam comprar veículos produzidos até 1959 – o que gera a cena pitoresca das ruas de Havana conhecida mundo afora. A partir daquele ano, os cidadãos do regime dos irmãos Castro podiam comprar e vender carros com preços estabelecidos pelo governo. Agora, o país liberou a venda de diversos modelos zero quilômetro sem a devida autorização estatal. O problema é que o governo taxou os veículos em 20%. Vale lembrar que Cuba sofre um embargo comercial pelos Estados Unidos desde 1962. Além desse percentual, outro problema ajuda a elevar os preços. Os veículos são vendidos por agências do governo, que podem cobrar até 8% do valor do carro para obter lucros e 10% de custos de operação na ilha. A justificativa do governo presidido por Raúl Castro é que o excedente será usado para investir no transporte público de Cuba. O suposto avanço é questionado frente ao salário mínimo o país, que gira em torno dos US$ 41, segundo a Folha de São Paulo. O fenômeno não atinge apenas o 508, que é vendido zero quilômetro, como também o mercado de usados. Há relatos de um Suzuki Jimny 2010 custando R$ 162 mil e um Hyundai Sonata 2009 sendo vendido por R$ 140 mil. É a velha lei de oferta e procura. Está rindo de Cuba? É exatamente o que os estrangeiros fazem com os preços do Brasil.