Fórmula 1: Abrem-se os portões

F1

Fórmula 1: Abrem-se os portões

Quase tudo muda para a nova temporada

img-25284-jerez-recebe-a-primeira-fase-da-pre-temporada-da-f1
Em março, na Austrália, se inicia mais uma temporada da Fórmula 1. E, como não acontece há alguns anos, desta vez a equipe do Novidades Automotivas cobrirá toda a temporada, com direito análises das corridas e até algumas crônicas! E, apesar de o "pega pra capar" só começar daqui a quase 2 meses, o trabalho entre as equipes tem sido intenso desde o começo desse ano, tendo como melhor prova disso as várias apresentações de carros que se seguiram. Renault-F1-2014-V6-engine-01
Não era difícil de se imaginar que o trabalho seria mais intenso que em outros anos, afinal, tudo para 2014 é novo. Os motores deixaram de ser aspirados e agora são de cilindrada ainda mais reduzida, com direito a turbo (saíram os V8 2.4 aspirados e entraram os V6 1.6 turbo com cerca de 150 cv a menos. Ou seja, o downsizing chegou à F1). E, se por um lado, o lado mecânico "enfraqueceu", o tecnológico cresceu. Agora a recuperação de energia cinética gera o dobro de potência, compensando os 150 cv a menos que os motores terão em média. Com isso, todos os projetistas já foram enfáticos em afirmar que o maior desafio é o controle de temperatura, uma vez que os bólidos desse ano devem esquentar bem mais, graças aos novos sistemas de recuperação de energia cinética, o que tornou os novos F1 carros de corrida híbridos – sem esquecer do ar que entra para o turbo, que também não pode ser quente!
2014_draft
Some-se a isso uma nova imposição da aerodinâmica, que coloca a obrigatoriedade dos bicos não terem mais que 185 mm de altura (ante 550 mm do ano passado) e pronto: temos uma temporada quase que totalmente repaginada. Os carros agora são cerca de 50 kg mais pesados, graças aos novos sistemas de recuperação de energia cinética, e as traseiras tendem a ser mais estreitas e/ou baixas, graças aos propulsores menores.

Motivo de Piada

27783

Graças à reduzida altura que a frente dos carros passou a ter, muitos pensaram que veríamos bicos similares àqueles que os carros adotavam entre o meio e o fim dos anos 1990. Mas o que surgiu até agora foi bastante diferente. Apelidos como "Gonzo" (isso mesmo, aquele personagem dos Muppets…) e "tamanduá" predominam entre os bólidos dessa temporada. Algumas equipes, como a Lotus, adotaram até a solução inusitada de um bico dividido em dois. E como tem sido exatamente na dianteira dos carros que cada equipe tem criado uma fórmula própria, as piadas internet afora tem crescido.
Sauber F1 Team C33 Press
Apesar de os testes começarem já amanhã, em Jerez de La Frontera (Espanha), nem todos os times apresentaram seus carros novos. Por enquanto Force Índia, McLaren, Lotus, Williams, Ferrari e Sauber mostraram seus lançamentos. Por outro lado, todas as equipes já confirmaram participação, com exceção da Lotus. E do que deu para se ver até agora, cada uma adotou uma solução diferente. Force Índia, Williams, McLaren e Lotus foram as primeiras. Os indianos mudaram radicalmente o esquema de pintura, com predominância do preto em vez do branco – e o carro só apareceu de lado. A escuderia de Sir Frank Williams, por sua vez, mostrou as linhas do carro (e seu horrível bico) sem deixar claro como será o esquema de cor, ainda que haja rumores fortíssimos de que o novo patrocinador Master seja a Martini, para a alegria de muitos fãs de automobilismo (incluindo este que aqui escreve). McLaren e Lotus apresentaram seus bólidos quase ao mesmo tempo. A escuderia negra apostou num bico em forma de tomada, enquanto o time de Woking acabou virando motivo de chacota, com o bico "Gonzo", que faz um "M" na frente do carro. Chamou atenção também a falta de um patrocinador máster, coisa que o time ainda está procurando.
Force India VJM07 2014 F1 Car
O time de Maranello também gerou discussões quanto à frente da F14T (nome escolhido por votação), que, para muita gente, lembra um aspirador de pó. A Sauber, que mostrou o novo carro ontem, é o time que mais agradou o público com o desenho do carro, cuja frente lembra levemente os modelos do fim dos anos 80/começo dos anos 90, com o nariz e o aerofólio dianteiro quase fundidos (fora isso, o esquema de pintura está milimetricamente igual). Os testes começam, como já foi dito, com participação de todas equipes, com exceção da Lotus. Aguardem por mais novidades!
lotus-e22-886x566
 
will-fw36-2014-886x704 27788