Aumento da mistura de álcool na gasolina pode prejudicar alguns motores

Brasil / Mercado

Aumento da mistura de álcool na gasolina pode prejudicar alguns motores

Carros e motos a gasolina devem utilizar combustível premium

consumo_gasolina[2]
Ainda depende de aprovação presidencial, mas é quase certo que o o percentual de álcool na gasolina deverá passar de 25% para 27% a partir do próximo dia 15 de fevereiro. Para carros e motos com motores flex, a medida é indiferente e só deverá resultar em um pequeno aumento no consumo. Já para os que têm motor a gasolina, a situação é um pouco diferente… A medida é resultado de uma velha demanda dos produtores de álcool pela queda da popularidade do combustível enquanto a gasolina permaneceu com preço estável, mas foi tomada antes de ser estudada a viabilidade técnica. Testes que avaliaram o desempenho de motores a gasolina com a nova mistura foram feitos nos últimos meses e não tiveram problemas. Entretanto, os testes de durabilidade não foram concluídos. O risco do aumento do álcool na gasolina é que o combustível vegetal provoque corrosão ou resseque componentes do motor. Por isso, a premium continuará com 25% de álcool na mistura. Tanto a associação dos fabricantes de automóveis (Anfavea) como a de motocicletas (Abraciclo) aconselham que veículo movidos exclusivamente a gasolina utilizem apenas gasolina premium pelo menos os testes fiarem prontos. Mas carros que sempre utilizaram gasolina comum precisam fazer a migração para a gasolina premium o novo combustível gradativamente aumentando a proporção do combustível no tanque aos poucos, e isso também vale para a gasolina aditivada. Por suas propriedades detergentes, podem retirar de uma só vez a goma e os resíduos do sistema acumulados ao longo do tempo. É uma limpeza, mas existe  o risco de entupir os bicos injetores, prejudicando o desempenho do motor. A diferença entre a gasolina aditivada e a premium também está nas octanas: enquanto a comum e a aditivada têm 87 octanas, a premium tem entre 91 e 95, dependendo da bandeira. Carros com taxa de compressão alta (como a grande maioria dos carros modernos), com injeção direta ou turbo têm desempenho melhor com este combustível, a ponto de muito só chegarem a sua potência máxima com premium no tanque. O lado ruim da gasolina premium é o preço, que varia entre R$ 3,70 e R$ 4,50 em grande parte do país, ainda que não seja encontrada em todos os postos.