Rolls-Royce mostra o Phantom Serenity em Genebra

Rolls Royce / Salão de Genebra

Rolls-Royce mostra o Phantom Serenity em Genebra

Conceito mostra o que pode fazer para agradar os clientes mais excêntricos

Rolls-Royce-Serenity-2
Pra quem está acostumado com carros pelados, qualquer pedaço de tecido nos painéis de porta é motivo para comemoração. Mas também há os que não se contentam com o que se oferece nos carros de mais alto luxo, como os Rolls-Royce: 85% dos carros vendidos pela marca tem vários elementos personalizados. Para mostrar do que é capaz, a fabricante mostra no Salão de Genebra o conceito Phantom Serenity. Rolls-Royce-Serenity-1
Diz a Rolls-Royce que a intenção foi combinar o estilo clássico do mobiliário europeu e a imagem dos Kimonos reais japoneses. Por mais que essa ideia possa não faça muito sentido para nós, é ela que justifica a pintura incomum, perolizada e com brilho rosado e ainda a aparência do interior.
Rolls-Royce-Serenity-5
Tomando como inspiração o interior dos Rolls-Royce do início do século passado, o Diretor de Design da Rolls-Royce, Giles Taylor, usou seda no acabamento do sedã. Colunas e teto têm bordados florais inspirados nas flores da cerejeira, e o couro empregado é branco.Rolls-Royce-Serenity-6
A pintura do Rolls-Royce Phantom Serenity é a mais cara do catálogo do modelo. É aplicada em um processo de três fases, seguidas por 12 horas de polimento à mão. De resto é um Phantom com outro “qualquer”, com motor BMW 6.6 V12 de 570cv e câmbio automático de oito marchas.
Rolls-Royce-Serenity-12