Com Sandero R.S, Renault pode ressuscitar os compactos esportivos

Renault / Segredos

Com Sandero R.S, Renault pode ressuscitar os compactos esportivos

Versão esportiva do Sandero foi desenvolvida na França pela Renault Sport

PANDERO RS 4
Você que sempre sonhou com a volta do Fiat Uno 1.6R com motor E.TorQ ou do Gol GTI com motor 1.4 TSI não deve ter imaginado que quem voltaria com a moda dos compactos de entrada seria a Renault com o Sandero R.S. A fabricante francesa enfim se pronunciou a respeito do esportivo e avisa: “oferecerá muita diversão a um preço justo”. PANDERO RS 2
Flagras e teasers que apareceram nas últimas semanas mostraram um pouco do compacto, mas agora a Renault falou sobre a criação de seu compacto esportivo. A versão foi desenvolvida pela Renault Sport em Les Ulis, na França, em colaboração com equipes do Brasil e da Argentina. Mas o Sandero R.S. será fabricado em São José dos Pinhais (PR) e destinado ao mercado local – ainda que esteja nos planos aproveitar a receita no Sandero vendido na Rússia. E a Renault Sport parece ter feito o dever de casa completo. A divisão da voltada ao automobilismo e veículos esportivos assina todas as mudanças no chassi, motor, suspensão, direção e design nesta versão. Tudo bem que a Renault Sport já tirou 200cv do motor 2.0 K4M sem usar turbo, mas no Sandero R.S. o novo mapeamento só deverá deixar a potência e o torque um pouco acima dos 148cv e 20kgfm que gera no Duster. E o câmbio será o manual de seis marchas do SUV. Mesmo assim é interessante: se o Duster chega aos 100km/h em 10,4s, imagine o Sandero, 200kg mais leve? O RS também tem vários adereços, além de luzes diurnas de LEDs, saída de escape dupla, suspensão rebaixada e rodas aro 16” da Renault Sport. E tudo isso por preço que poderá ficar abaixo dos R$ 60 mil. A apresentação oficial é esperada para meados de junho, durante o Salão de Buenos Aires. A Volkswagen também deve entrar na onda: o Up! GT, com motor 1.0 três cilindros com turbo e cerca de 110cv é esperado para os próximos meses. Há tempos a relação peso-potência não está tão favorável aos compactos brasileiros…