Segundo SUV mais rápido do mundo, Range Rover Sport SVR chega por R$ 595 mil

Land Rover / Land Rover

Segundo SUV mais rápido do mundo, Range Rover Sport SVR chega por R$ 595 mil

Apenas 30 unidades serão importadas, sempre por encomenda

range_rover_sport_svr_59 (Copy)

Após apresentar o jipão superesportivo durante o Salão do Automóvel de São Paulo em 2014, a Land Rover enfim iniciou as vendas do Range Rover Sport SVR em solo brasileiro. Por R$ 595 mil é possível levar para casa o segundo SUV mais rápido do mundo segundo testes feitos no circuito alemão de Nürburgring (o primeiro, por curiosidade, é o BMW X6 M).

range_rover_sport_7 (Copy)

Fazendo jus ao posto, o Range Rover Sport SVR, preparado pela divisão de veículos especiais da marca, tem visual agressivo reforçado pelos grandes nichos e entradas de ar dianteiros, rodas de 21 polegadas, detalhes em preto (esqueça cromados!) e nada menos que quatro saídas de escape na traseira. Por dentro há acabamento bicolor, bancos esportivos e detalhes em alumínio.

range_rover_sport_29 (Copy)

Debaixo do capô, o grande trunfo do modelo: um motor V8 5.0 que entrega 550cv de potência e 69,3kgfm de torque capaz de levar o SUV de 0 a 100km/h em 4,7 segundos. A velocidade máxima, porém, é limitada a “apenas” 260km/h. O câmbio é automático de oito velocidades (e não nove, como no Evoque) e a tração é integral.

A suspensão foi  retrabalhada e há controle ativo da carroceria com sistema pneumático, em substituição aos estabilizadores mecânicos. Os freios ganham pinças Brembo de seis pistões e as molas foram substituídas por suspensão pneumática.

Também sobrou para a transmissão automática de oito velocidades, com programação mais esportiva, que resulta em trocas mais rápidas e um pouco mais brutas, e ela ainda executa punta tacco automaticamente nas reduções. O sistema de escape tem válvula ativa capaz de deixar o ronco mais encorpado quando ajustado para os modos mais esportivos.

A capacidade de fora-de-estrada fica mantida, mas agora há um sistema de controle vetorial baseado na forma como o controle de estabilidade atua nos freios que estão dentro da curva para emular um diferencial autoblocante e, assim, permitir que o carro continue acelerando sem grande subesterço.