Parece, mas não é

Chevrolet / Citroën / Curiosidades / GM / Honda / Jac / Kia

Parece, mas não é

Quando os designers quiseram enganar você!

chevrolet_agile_19 (1)

Desde que o mundo é mundo, uma das principais questões filosóficas está em: a vida imita a arte, ou a arte imita a vida? Bom, a resposta certa nós não nos atreveremos a dar, mas de uma coisa temos certeza: os carros, estes sim imitam a vida. Muita coisa aparenta algo que  na realidade não é, seja no quesito estético ou ideológico. Nos carros, a situação não é diferente e separamos algumas destas “farsas”.

Normalmente, as fabricantes utilizam de artifícios estéticos que enganam os desavisados para tornar seus modelos mais bonitos, maiores, mais requintados ou até mais esportivos. Mas tudo não passa de um apliquezinho extra aqui, uma luzinha ali, uma economiazinha acolá e muito, muito plástico.

Ar-condicionado do Chevrolet Agile: parece digital, mas não é

agile ac  (Copy)

Um dos principais chamarizes estéticos do interior do Agile – aquele modelo lançado para salvar a Chevrolet da pior crise de sua história e que deixou de ser vendido no ano passado – é o ar-condicionado. Em um primeiro olhar, o ar-condicionado “digital” impressiona por se fazer presente em um carro de quarenta e poucos mil, só que não. Os comandos do equipamento são analógicos, apenas os mostradores são digitais, o que não o transforma em um legítimo ar-condicionado digital, tampouco automático.

Aplique plástico na lateral do Hyundai HB20S: parece uma janela espia, mas não é

hyundai_hb20s_7

Certamente os designers da Hyundai passaram por um dilema ao projetar o HB20S, variante sedã do HB20, para disfarçar as grandes colunas traseiras. Aumentar as portas gerariam custos, fazer janelas espias também ficaria caro. A solução foi introduzir apliques plásticos. Ficou bom: os apliques seguem o formato das portas e ainda amenizam o visual das largas colunas traseiras. Mas vidros de verdade ficariam melhores.

Aletas no Chevrolet Corvette manual: parecem borboletas para trocas sequenciais, mas não são

corvette (Copy)

As aletas atrás do volante em carros com câmbio automático são uma opção para quem gosta de uma pegada mais esportiva se imaginar a bordo de um carro de corrida, trocando as marchas sem tirar as mãos do volante. Os puristas, no entanto, apelam para o câmbio manual. Mas… alguém explica por que o Chevrolet Corvette, mesmo com câmbio manual, tem as borboletas atrás do volante? Resolveram colocar o acionamento do Active Rev Match (uma espécie de punta-tacco automático) ali. Pura estética.

Para-choques “esportivos” de Peugeot 308 e Fiat Stilo: parecem saídas duplas de escape, mas não são

peugeot 308 (Copy)

O mesmo artifício utilizado há alguns anos no Fiat Stilo se repete até hoje no atual Peugeot 308 vendido no Brasil. Dois apliques cromados, um em cada extremidade do para-choque traseiro, se passam por dois grandes escapamentos. Mentirinha. Os dois têm motorização máxima de 2 litros ou, no caso do 308, 1.6 turbo. Esta última sim exige dupla saída, mas juntas, do mesmo lado e apontadas para baixo.

Lanternas de Honda New Civic e Kia Sorento: parecem LEDs, mas não são

honda civic (Copy)

Quando estreou, em 2006, o New Civic revolucionou o segmento com seu visual moderno, cheio de soluções futurísticas como o painel digital em dois andares. Por fora não poderia ser diferente, mas as lanternas em LEDs ficariam caras. A solução: luzes normais e uma tela quadriculada por dentro das lentes para produzirem o efeito pontilhado dos LEDs. O Kia Sorento passou pelo mesmo tratamento. Apenas a versão topo de linha do utilitário era equipada com LEDs de verdade.

Maçanetas traseiras de Honda HR-V e DS 4 camufladas: parecem duas portas, mas não são

autowp.ru_citroen_n_ds4_5

Este recurso não é nenhuma novidade, mas continua sendo usado pelas montadoras. Para dar alguma esportividade aos modelos (uma vez que esportivos costumam ter apenas duas portas), as marcas camuflam as maçanetas das portas traseiras, normalmente próximas dos vidros. Honda HR-V e DS 4 são apenas dois exemplos entre inúmeros outros que aderem ao modismo.

Entrada USB nos JAC J2 e J3: parecem entradas convencionais para pen drive, mas não são

DSC00964

O propósito nós juramos que não entendemos, mas é fato. Uma das primeiras atitudes dentro de um carro que passaremos algum tempo é procurar onde fica a entrada USB. Em modelos como os JAC J2 e J3 você acha a tampa emborrachada da entrada e voilà: lá estão as entradas mini-USB. O jeito é procurar um adaptador incomum ou se contentar com rádio e CD. Será que custaria tanto assim a fábrica se adequar ao padrão?

Falso scoop no capô da Chevrolet S10: parecia uma entrada de ar, mas não era

chev s10 (Copy)

Em 2008, a antiga geração da picape S10 passou por sua última reestilização. O modelo ganhou novidades visuais que não necessariamente agradaram, como o falso scoop no capô, ou melhor, uma falsa entrada de ar que indicava uma esportividade que a S10 não entregava. Pelo contrário, o aplique plástico só servia para pesar o visual e atrapalhar a aerodinâmica.

  • Dudu Pimentel

    O Peugeot 408 têm falsas saídas de escape tb; o Peugeot 207 SW tb tinha maçanetas embutidas, bem como o Chevrolet Sonic hatch; Chevrolet Cruze tb tem aplique plástico nas laterais (tanto hatch, como o sedan); HB20 nas versão com novas lanternas dianteiras, Civic atual, Corolla atual na versão Altis, antigo Siena e Palio e atuais Strada e Palio Weekend, e atuais Cruze vendidos no Brasil tem projetores de luz que imitam luzes de xenônio, mas não são.