Lançamentos / Renault

Renault Fluence GT Line volta às lojas de cara nova por R$ 79.990

Versão tem visual esportivo, mas mantém mecânica

Reestilizado no final de 2014, o Renault Fluence volta a ter uma versão esportiva. Ou melhor, com visual esportivo. Por R$ 79.990, o Fluence GT Line tem exatamente o mesmo visual do Fluence GT, mostrado em junho no Salão de Buenos Aires, mas fica devendo o principal: motor 2.0 turbo de 190cv e câmbio manual de seis marchas. Mantém o 2.0 aspirado de 143cv e o câmbio CVT.

Renault Fluence GT Line 2016./ Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem

A versão esportiva não vendeu como o esperado no passado, o que desanimou a Renault a importá-la por enquanto. Por outro lado, o Fluence GT Line deu certo. Tem conjunto mecânico que preza pelo conforto, mas muito bem fantasiado de esportivo. Começa pelo spoiler integrado ao para-choque dianteiro, logo abaixo da entrada de ar, e pelos faróis de neblina envoltos por uma moldura prateada. Os LEDs, porém, são de série em todas as versões do sedã.

Renault Fluence GT Line 2016./ Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem

De lado, destaque para as belas rodas aro 17″. Na traseira, um pequeno spoiler é incorporado à tampa do porta-malas e o escapamento é envolvido por um extrator de ar na cor preta que mais parece um morcego. O para-choque também é diferente, tem pequenas saídas de ar nas extremidades.

Renault Fluence GT Line 2016./ Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem

Por dentro a mudança mais notável é que tudo tem acabamento preto, enquanto nas demais versões os plásticos são cinza. Os bancos em couro tem costuras vermelhas e o nome da versão GT Line nos apoios de cabeça. Os pedais são em alumínio e o volante, descansa braço central e acabamento das portas também recebem costuras vermelhas exclusivas. O teto solar é de série, assim como a central multimídia R-Link com tela de 7″ sensível ao toque.

Renault Fluence GT Line 2016./ Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem

Entrando nos detalhes mecânicos, o Renault Fluence GT Line usa o motor 2.0 16V Hi-Flex, com duplo comando de válvulas no cabeçote. Este motor desenvolve 143cv (etanol) / 140cv (gasolina) a 6.000rpm e torque máximo de 19,9kgfm (etanol) / 20,3kgfm (gasolina) a 3.750rpm, um dos maiores do segmento. Já o câmbio CVT X-Tronic simula seis marchas nas trocas sequenciais. O Fluence GT Line acelera de 0 a 100km/h em 9,9s (etanol) / 10,1s (gasolina) e sua velocidade máxima é de 195km/h.

Renault Fluence GT Line 2016./ Foto: Rodolfo Buhrer / La Imagem