Chevrolet / Segredos

Com nova geração do MyLink, novo Chevrolet Cobalt terá apenas motor 1.8

Sedã estreia MyLink com Android Auto e Apple CarPlay

projecao_chevrolet_cobalt_2016

Com lançamento marcado para o início de dezembro, o Chevrolet Cobalt 2016 terá boas alterações no design. Mas irá um pouco além da reestilização ao rever sua oferta de motores e versões, para se reposicionar no mercado. O sedã perderá o motor 1.4 e suas versões mais em conta.

projecao_chevrolet_cobalt_2016_1

Segundo o Autos Segresdos, o Chevrolet Cobalt 2016 será vendido apenas com o motor 1.8 Econo.Flex de 108cv e apenas nas versões LTZ e Elite, que é novidade. LS e LT deixam de existir. A primeira terá opção de câmbio manual de cinco marchas e automático de seis, mas a segunda terá apenas o câmbio sem embreagem. A diferença ficará por conta do friso cromado e do logo elite nas laterais do carro, além da câmera de ré e do acionamento automático dos faróis.

A estratégia pode soar estranha, mas ajuda o Cobalt a se encontrar no mercado. Hoje os preços do Cobalt 1.4 são muito próximos dos do Prisma 1.4. Se por um lado o Cobalt é maior e mais espaçoso, por outro o Prisma tem design mais jovem e dinâmico e é um pouco mais refinado – ao menos por enquanto. Enquanto um Prisma 1.4 LTZ parte dos R$ 54.500, o novo Cobalt LTZ deverá custar cerca de R$ 57 mil (contra os R$ 55.300 atuais).

FGD_8723

Uma novidade já confirmada para o novo Chevrolet Cobalt é a segunda geração da central multimídia MyLink. Hoje o aparelho se integra apenas a aplicativos específicos (como o péssimo GPS so BrinGo) dos smartphones conectados. Nesta nova geração, porém, é compatível com os sistemas Android Auto, do Google, e CarPlay, da Apple. Assim será possível usar toda a sorte de aplicativos instalados no celular, dar comandos por voz, controlar aplicativos como Spotify e Deezer no aparelho ou mesmo trocar mensagens por Whatsapp (desde que o carro esteja parado).

A tela de sete polegadas ainda ganha melhor resolução gráfica e tecnologia multi-touch – como nos smartphones –, mais sensível. Já as teclas de avançar e retroceder do multimídia foram deslocadas do visor para o painel externo do aparelho e o botão do volume passa a ser giratório, facilitando a operação.

Teaser_MyLink_1

Projeções | Autos Segredos

 

  • dogmarley

    muito esperta a GM, limitando o share of market do Cobalt, assim deixando mais espaço para o Prisma. Nem mais para frotas este carro continua interessante.
    No mais, arrisco-me dizer que este Cobalt agora encalha de vez: motor antigo, plataforma antiga, só mudaram faról/lanterna e a central multimídia. O Consumidor minimamente antenado não compraria.

  • Valdek Waslan

    A Chevrolet tirou o Sonic (hatch e sedan) para beneficiar o Onix e o Prisma. Agora vai tirar versões do Cobalt também para beneficiar o Prisma… enfim… Dizem que o novo slogan da Chevrolet será “Prisma e Onix… tudo pela Chevrolet, bem pouco pelo consumidor!” ou “Chevrolet… tudo pelo Prisma e Onix e bem pouco pelo consumidor”… Porque bem pouco pelo consumidor? Porque o Cobalt foi até que bem aceito pelo consumidor (apesar de seus fários medonhos). Não só pelos taxistas pois aqui no RJ se vê bastante Cobalt na rua. Quando pensamos que viria um motor melhor… mais interessante, eis que a Chevrolet muda a frente o sistema de multimédia e pronto! não… ela vai acabar com a 1.4… sei lá…

  • Pedro Cunha

    A galera do taxi não curtiu isso.
    Estratégia que evidencia o quanto é fácil “elitizar” ou “elevar de categoria” um modelo no brasil: Põe uns detalhes cromados, uma central multimídia, enxuga a lista de opcionais e pronto: O que era um sedã de frota de aluguel, vira “praticamente” um sedã “compacto de luxo”. E custando o que não vale, absolutamente.
    E a culpa?
    Culpa de quem paga e leva pra casa achando o máximo.