Brasil / Curiosidades

10 combinações deliciosas de carros e motores – E que você deveria tentar!

Sua esposa vai querer te matar e sua mãe, te exilar. Mas vale a pena!

page3[3]

Que tal começar 2016 enfiando ideias maldosas de torrar aquele dinheiro que você guardou a duras penas em 2015 para viajar com sua patroa pro Nordeste? Afinal, a viagem durará apenas alguns dias, ao passo que se você investir naquele carrinho que você tem na garagem você poderá ter uma máquina para extremas emoções. Se a mulher reclamar? Dê para ela um DVD do Michel Teló e estará tudo resolvido.

Entretanto, para prosseguirmos na ideia de endiabrar seu carro, vou fazer três considerações, ok?

1- Aqui serão exibidos projetos simples, em quase sua totalidade. Mas todos eles com caráter de instalação mais facilitada. Ou seja, nada de Fox com V8 em posição central, Fiorino com V12 Ferrari, 911 com AP tracionando as 4, ou qualquer outra coisa que as drogas e seus parcos neurônios inventarem.

2 – Falaremos de instalação de powertrain, que normalmente é a parte complicada. Preparação desses componentes normalmente não será tratado pela vasta possibilidade em cada um desses projetos. Da mesma forma não serão tratados suspensão, tratamento de chassis, freios, instrumentação e afins. Mas nunca se esqueça, seu tarado: Aumentou potência? Aumente o controle sobre seu carro também. Acelerar é bom, mas fazer as curvas like a boss e frear de acordo é melhor ainda.

3 – Tudo que falarei aqui é superficial, mas extremamente possível de ser executado. Maiores dúvidas, use o SAC do Primeira Marcha logo abaixo ou mande e-mail (renato@primeiramarcha.com.br) para nós se a dúvida for mais elaborada. E caso vá levar isso para frente, sempre trabalhe com bons profissionais, equipamentos e peças.

Feito o combinado, vamos ver o que podemos fazer com aquela bicheira enferrujada que habita em nossa garagem:

1 – D20 + V8 572

chevrolet_d-20_conquest_1[1]

Vou começar pelo mais caro, insano e legal dos projetos. Uma vez que a Mega da Virada quase saiu para mim (errei por seis números apenas), esse seria de cara meu primeiro projeto. A brincadeira é simples: Pegue uma D20 ou mesmo uma Silverado, do jeito que você quiser. Ao mesmo tempo, importe um V8 572 do catálogo da GM Performance ou outra preparadora americana que usine e venda esse motor já completamente montado. Coloque uma injeção de acordo, com injetores de alta vazão (esses motores costumam vir com imensos carburadores de corpo quádruplo), faça escape e admissão e voilà. Você tem uma picape de pegar frango na roça com mais de 600cv e um torque pra girar a Terra pro lado errado!

38070-1280x960[3]

Quer tornar a brincadeira ainda mais legal? Coloque um compressor centrífugo para Big Block Chevy, mesmo com uma pressão conservadora. Você facilmente chegará na casa dos 900~1000cv. Junte tudo isso com uma boa transmissão manual (Tremec T-56, por exemplo), um bom diferencial (Dana 44) e pronto. Seu passaporte para o hospício estará devidamente assinado. E acredite: não é das instalações mais complicadas de se fazer!

2 – Chevette + C20XE

autowp.ru_chevrolet_chevette_2-door_sedan_br-spec_1[1]

Já disse aqui que o Chevette é um Lego. Desde que Moisés atravessou o Mar Vermelho em um Chevette SL, os povos modernos colocaram de tudo debaixo daquele capô: motor original turbinado, 151 de Opala, AP, V6 Vortec, 1.8 Powertrain, V8 Cadillac, reator nuclear, motor de liquidificador, capacitor de fluxo, remo viking e tudo mais que o ser humano já inventou como propulsão. Entretanto, para mim nada bate a clássica receita europeia de se colocar o C20XE, do Vectra GSi e do Calibra, com devida preparação e câmbio adequado (normalmente do Omega 2.0 e diferencial do Chevette AT).

c20xe[2]

Temos aí então um carro leve, com motor girador que sobe de rotação de forma linear e saudável, ainda mais se feito com carinho, amor e Sazón. Sazón não, pimenta. Ah, e o Chevette é tração traseira, você se lembra. Pois é: você, com um desses, está prestes a virar o novo Drift King brasileiro. Se seu nível de insanidade (ou de coolness) for sensivelmente mais alto, você pode usar uma Chevy 500 ou mesmo uma Marajó. Porque andar de lado, seja no asfalto ou na terra, com bônus para o estilo é para poucos

3 – Opala + Small Block Chevy (SBC)

autowp.ru_chevrolet_comodoro_sl_e_1[1]

1102phr_03_o+chevy_small_block_engine+gmpp_small_block_chevy_engine[3]Haters gonna hate: Abomino o 250 da Chevrolet. Taquem pedras, bombas, a mãe. O que quiserem. Não gosto e pronto, e abomino ainda mais o 151. Passada a temporada de ódio, tenho que assumir que o Opala é um carro bacana, e que merece um motor mais forte. Paralelamente, depois de futricar oficinas e a internet, descobri que colocar um SBC em um Opala é tão fácil quanto o Barcelona fazer gol no Santos. Com isso, você tem uma série imensa de opções de propulsor, desde cilindrada até itens de performance. Não te esqueça: o SBC é o motor mais preparado do mundo, e peças para eles costumam dar em árvores e hortas nos EUA. Uma vez com bloco em mãos aqui no Brasil, todo o restante você trás de fora sem grandes dificuldades e com IMENSO poder de escolha.

Junte tudo a uma boa transmissão (larguem a Clark 260-F pelo amor de Deus!), bons diferenciais (ou seja, nada de Braseixos) e sua felicidade estará encaminhada. Se eu posso ainda sugerir um algo a mais, eu faria com um sedan pós-91. Pra mim é a combinação mais bonita de carroceria, o interior mais moderno, e o mais legal para se fazer um sleeper, na minha humilde opinião.

4 – Pampa + AP 2000

autowp.ru_ford_pampa_2[2]

Essa é simples, inusitada e um baita de um sleeper. E legal, muito legal. A partir de 1989, a Pampa veio ao mercado com o AP-800 da Volkswagen. Ganhou muito em desempenho frente ao anêmico Cleòn, posteriormente CHT, de origem Renault. Mas nada é tão bom que não possa ser melhorado, não é? Pois, ao invés de simplesmente aumentar o diâmetro dos cilindros da Pampa que você herdou do seu pai e trocar o virabrequim, deixe de ser pão duro e vá atrás de um bloco de deck mais alto, que equipou o Golf 2.0 e o Gol GTI, entre outros. Eles te permitem utilizar as maiores bielas utilizadas pela linha, além do cabeçote de 16v, se você encontrar.

gti_001[4]

Além disso, estamos no Brasil, onde é mais fácil conseguir peça para preparar bem seu AP do que conseguir dados de qual é a capital da Austrália. Com isso, é mandar para dentro e fazer sucesso. Imagina aquele cara engomadinho e fresco andando no seu hatch médio do ano se achando o rei da estrada e tomando pressão de uma Pampa dirigida por um verdureiro sujo e em fúria. Definitivamente, seria uma coisa legal de se ver, não é mesmo?

5 – Uno + 1.6 16V Fiasa

Fiat[7]

Outra opção simples e fácil de se fazer. E facilitada, num âmbito geral: o Uno é outro Lego que temos nas ruas, com um milhão de peças de prateleira e que tende a dar certo. Porque Uno é um carro legal e pronto. Ah, e não estamos falando desse engodo que temos atualmente na rua, certo?

1315039215[2]

Pois então. Sabe aquele 1.6 16v girador e apimentado que saiu no Palio de primeira e segunda geração antes de entrar o touro mecânico que queria sair voando do cofre chamado Powertrain 1.8? Pegue ele e, sem grandes dificuldades, coloque no seu Uno. Prepare a suspensão da criança e seu Kart pra andar na rua está pronto. Ah, e esse motor ganha facilmente mais uns cavalinhos, além de ficar com um ronco dos mais bacanas quando equipado com um escape dimensionado. Pense muito e pense bem nisso!

6 – Clio e 206 + 2.0 16v

_W2Q2984[3][3]

Na verdade, não existe nenhum segredo nessa modificação, que a propósito já é feita com certa frequência no caso do Clio. A ideia básica é replicar as versões esportivas que existem no mercado europeu desses dois hatches. Então, se você tem algum desses dois franceses bons de curva na garagem e quer provar para aquele amigo seu que carro francês não é carro de menina universitária, já é hora de caçar um F4R (Clio) ou um XU10 (206) com a transmissão adequada e comprovar que universitária é a avó dele (que também não é, diga-se de passagem).

7 – AP 20V

Saia do habitual, do lugar comum. Você, dono de AP, que está pensando em colocar um turbocompressor do tamanho de uma abóbora no motor do seu carro, com pressão suficiente para varar as comportas de Itaipu. Você, Apzeiro, que sentirá um coice semelhante ao DeLorean do Marty McFly quando o compressor atingir sua plenitude. E fatalmente terá um túnel de transmissão trincado antes da décima arrancada em qualquer semáforo da Zona Leste de São Paulo. Saia dessa vida. Jesus te ama, e nós do Primeira Marcha também.

img97630[3]

Seja mais refinado. Faça uma preparação aspirada em seu Gol, Santana e afins. Mas que não fique embaralhando em marcha-lenta e engazopando quando parado. Use seus conhecimentos de graxa, compre o motor daquele A3 de leilão e aproveite o cabeçote completo. Faça os ajustes necessários e seja o mano com motor mais refinado da sua quebrada, motor esse que sobe de giro com alegria e ousadia. Só não vale continuar colocando óleo de soja no motor a cada 30 mil quilômetros, não é mesmo?

8 – Ka/Fiesta Mk4 + Duratec 2.0

ford_fiesta_ghia_5-dooFr_4

2-0-liter-gdi-duratec--2012-ford-focus_100339085_l[6]Em algum dia, na história recente do Brasil, São Pedro enviou uma chuva diluviosa sobre nós. De alguma forma, um lote de motores Duratec 2.0 foram atingidos, dentro das caixas, em algum pátio da Ford em algum lugar do reino de Dilma. Então a Ford leiloou esses propulsores afetados e vimos, a partir daí, algo que é muito comum no meio gearhead da Europa, principalmente do Reino Unido: Colocar esses motores no Fiesta Mk4 e seus derivados.

Esse motor original, por si somente, em qualquer um desses carros, já daria uma cadeira elétrica de respeito. Entretanto, dada a imensa facilidade de explorar mais esses motores, e que tanto as transmissões iB5 quanto a MTX-75 que equipam muitos Ford dão conta do recado, o que temos é um cenário cada vez mais hardocore. Se essa brincadeira é executada em um Ka, que é menor, mais leve e mais ágil, temos insanidade suficiente para passar em frente ao palácio de Buckingham tocando “God Save The Queen” em versão punk fazendo bunda-lê-lê. E sem o perigo de ser preso na fuga se tentarem te seguir por terra. Dica ainda mais insana: coloque tudo isso em uma Courier. E vire um verdureiro ainda mais feroz e selvagem que seu semelhante que dirige uma Pampa, embora com menos pontos de coolness.

9 – Hilux (5ª geração) + V6 1GR-FE

toyota_hilux_double_cab_jp-spec_1[1]

Hey, você: sabe aquelas Hilux do começo dos anos 1990, de cabine simples e altura de rodagem de carro de passeio comum? Sim, aquela que seu avô japonês usa para carregar banana na Serra do Cafezal. Pois então: compre ela de seu avô. E também compre aquela SW4 V6 de geração atual capotada que está em um leilão. Tire o motor e venda o resto da sucata. Use o câmbio manual da versão Diesel. Coloque na caminhonete que era do seu avô sem grandes dores de cabeça.

Toyota_1GR-FE_engine_001[3]

Agora, tire as caixas de banana da caçamba e trabalhe essa suspensão. Novos freios e afins. Ah, deixe o escape com pouca restrição. E veja sua mãe querer te internar em um hospital psiquiátrico pela bomba atômica deliciosa que você está fazendo, pois a criança tende a andar muito, mas muito bem. Ah, e dependendo da sua habilidade você pode andar de lado também, já que a pick-up é tração traseira, né? E assista sua mãe pesquisando no Google como te mandar pro exílio depois dessa.

10 – VW Aircooled + Subaru boxer

autowp.ru_volkswagen_fusca_1[1]

autowp.ru_subaru_legacy_2.5i_1[25]Para fechar, um clássico. Os VW antigos são Boxer. Subarus são Boxer. Fuscas originalmente andam pouco. Subarus normalmente não. Subarus são legais. VW antigo ainda mais. E se você juntasse todo o estilo de um Fusca ou de uma Kombi, por exemplo, mas com desempenho conforme? Você nem eu fomos os primeiros a pensar em tamanha malvadeza. Pelo contrário: essa modificação é disseminada pelo mundo. E você ainda pode utilizar a suspensão traseira da Variant II para despejar essa potência no solo de forma ainda mais eficaz. Ok, você também pode usar um motor Porsche, que é tão sensacional ou até mais. Mas aí o dinheiro é seu. Se fica legal? Imagina: fica deliciosamente insano.

Publicada originalmente em 04/01/2015

  • Marcelo Henrique

    Meu amigo tinha um 2.4.
    Nunca fundiu o motor ou essas coisas do mal que o povo fala aos quatro cantos.
    Mas a manutenção é mais cara do que um Astra / Vectra / Bora / Golf e franceses.
    Vendeu pra pegar uma lasanha de respeito: Landau.

  • Marcelo Henrique

    Auto Latina
    AP em Escort e CHT em Gol

  • Marcelo Henrique

    Discordo, andei no Palio Weekend 1.6 16v hi torque do trabalho e o carro anda bem em qualquer rotação e olha que estava com mais de 250 mil km sem retificar.
    O povo reclamava era no Brava por ser pesadão, aí a Fiat lançou o Corsa Lunga italiano que tinha a mesma litragem porém com curso maior e o torque desenvolvia mais cedo na versão de 2001/2002.

  • Tiago Beltrão

    Não existe fiat 1.6 16v “fiasa”. Esse motor é derivado da família sevel.

  • Igor Marcolin

    Eu imagino que daria pra colocar certinho um V8 302 ou maior na F 1000 sem problemas

    • Renato Passos

      Até big block da linha FE entra sem problemas!

  • Não sei se alguém mais já fez aqui no Brasil , mas eu montei um 206 com o motor 2.0 16v do 307, motor ew10j4. Fica muito esperto o carro. Ao invés de usar o motor da serie XU que é mais antigo e também mais difícil de achar bem como ter peças de reposição, o ew é um motor mais novo, que embora não tenha a mesma potência que um xu10rs, mas dá um belo resultado e muito trabalho para muito carro grande por aí.

  • DJUNIOR

    Eu iria preferir deixar o escape original para aumentar o fator surpresa. Na SW4 com os 240 cv originais, esse V6 empurra muito bem, apesar da balança bater nos 2000 kg e os aparentemente insuficientes 38 m.kgf de torque darem muito bem conta do câmbio e as 4 rodas tracionando o tempo todo… Numa quadradinha, seria o ideal, ainda mais que esse motor consome o mesmo tanto de gasolina que a 2.7 16v atual com câmbio automático gasta no dia-a-dia heuaheuahe 😀

  • Daniel Ricardo Cadore

    E Opala/Diplomata com o V6 de uma Captiva?, será que não rola fácil?

    • Renato Passos

      Pra que V6 se dá pra colocar V8?

      • Daniel Ricardo Cadore

        Pq um V8 agora é muito salgado, e os V6 do captiva estão por ai…

        • Renato Passos

          Sensivelmente mais caros e chatos de mexer, principalmente por causa da eletrônica, acredite!

          • Daniel Ricardo Cadore

            Chato eu até concordo, mas caros? eu sinceramente duvido.

          • Renato Passos

            Ô…

          • Daniel Ricardo Cadore

            Pesquisando bem rápido:
            V6 3.6 da Captiva 14-17 mil

            V8 SBC 44 mil (o mais barato)

            O V8 é caro pra carai!

          • Renato Passos

            44 mil eu compro, pelo menos, 3 SBC. Vai por mim, a coisa não é tão crua assim.

          • Daniel Ricardo Cadore

            então me mande o link com SBC por 11 mil…que eu compro!

  • Paulo Pinheiro

    Tenho quase duas dessas bizarrices, chevette com 1.4 ecotech e chevrolet brasil com small block 283 (do ano dela pelo numero de série, se bobear é uma bizarrice original)

    • Renato Passos

      E que dia que vou andar nisso?