Chevrolet / Lançamentos / Salão de Detroit

Este é o novo Chevrolet Cruze hatch 2017

Mais leve e bonito, chega às lojas dos EUA no segundo semestre

2017-Chevrolet-CruzeHatch-Detroit-2

A Chevrolet não esperou o início do Salão de Detroit, agendado para a próxima segunda-feira, para apresentar a nova geração do Chevrolet Cruze hatch. Pela primeira vez o hatch será vendido nos Estados Unidos, aproveitando o sucesso do sedã e o crescimento de 9% deste segmento em 2015. A seu favor, tem uma série de recursos tecnológicos e uma das traseiras mais belas entre os hatches médios da atualidade.

2017-Chevrolet-CruzeHatch-Detroit-4

Veja também : Novo Chevrolet Cruze chega ainda no primeiro semestre de 2016

Como o nov sedã tem perfil mais esportivo, com queda acentuada do teto, o hatch é idêntico a ele até o fim das portas traseiras. Em outras palavras, tem os mesmos faróis afilados e com LEDs que se estendem em direção as laterais, além de um “bocão” para a tomada de ar inferior. O entre-eixos também não muda em relação ao sedã: são 2,70m, 2cm a mais que a geração anterior.

A evolução das linhas da traseira é notável. Ao invés das grandes lanternas da geração atual, tem conjunto com luzes estreitas, com metade delas na tampa do porta-malas. O para-choque tem um plástico preto simulando extrator que também interliga os refletores. E o mais interessante é a capacidade do porta-malas: são 524l (que pode chegar a 1.189l com os bancos rebatidos). Para efeito de comparação, o sedã vendido no Brasil hoje tem 450l.

2017-Chevrolet-CruzeHatch-Detroit-1

Por trás desta evolução está a nova plataforma D2XX, que sozinha torna o modelo 45kg mais leve. O novo motor 1.4 turbo elimina outros 20kg. É uma versão atualizada do que usam hoje no sedã vendido nos Estados Unidos, com 154cv a 5.600rpm e 24,2kgfm entre 2.000rpm e 4.000rpm, e ainda ganhou sistema start-stop. Ao todo, a redução de peso foi de 91kg.

No que diz respeito a suspensão, o modelo tem conjunto McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira. Só a versão Premier, a mais cara, tem conjunto traseiro Z-Link, um eixo de torção evoluído com dois braços estabilizadores extras presos em estrutura própria. Acha inovador? Este sistema está em todos os Cruze hatch vendidos no Brasil hoje. É torcer para que não perca isso por aqui…

Chevrolet-Cruze-Hatch-Z-link-rear-suspension

Esta versão Premier também é a mais recheada. Tem rodas arp 18″, spoilers dianteiros e traseiros, nova central multimídia MyLink com Apple CarPlay, Android Auto e hotspot wi-fi 4G, assistente de mudança de faixa, alerta de pontos cegos e de tráfego traseiro, sensor de ré e, como opcional, o “Teen Driver”, que mostra como seus filhos estão dirigindo. Nas palavras da Chevrolet, Civic, Focus e Elantra não oferecem nenhuma destas tecnologias.

E no Brasil?

A última atualização diz respeito ao sedã, que será fabricado na Argentina. A fábrica de Rosário entrou em recesso no Natal e só voltará a produzir fevereiro. No retorno, já produzirá a nova geração do Cruze sedã, segundo sindicalistas locais. Deste momento até o lançamento levará cerca de dois meses e, considerando o tempo que se leva para importação, é possível que a nova geração do sedã desembarque no Brasil em maio, três meses depois.

2017-Chevrolet-CruzeHatch-Detroit-3

E isso é rápido: as primeiras unidades vendidas nos Estados Unidos só serão entregues em março. No caso do hatch, as entregas começarão entre julho e setembro. Por aqui, com sorte, veremos ele pela primeira vez no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro.

O motor será outro. Sai de cena o 1.8 de 144cv e chega um 1.5 turbo que pode render até 160cv, também combinado a um câmbio automático de seis marchas. Só não espere por câmbio manual no Brasil, onde o Cruze já perdeu esta opção.

With greater spaciousness and technology, the 2016 Cruze’s interior is designed to be more comfortable and a better connected environment for the driver and passengers.

With greater spaciousness and technology, the 2016 Cruze’s interior is designed to be more comfortable and a better connected environment for the driver and passengers.

  • TSI

    Henrique, a medição do porta malas nos EUA é diferente das medições do Brasil, lá mede-se até o vidro e assim o porta malas do golf passa a ter 640 litros. Não se iluda que ele terá porta malas de seda. As próprias fotos encontradas na NET demonstram isto. Atente se

  • V.mario

    Muito bonito e boa evolução tecnológica, vamos ver o preço!
    Logo teremos rodas 20′ de série, para rodar em nossas belas estradas com asfaltos de fazer inveja ao mundo!

  • Valdek Waslan

    Tá…. tudo bem… bonito… ok…
    Mas pô… esses carros estão ficando com cara de Oriental.
    Algo contra? Não, mas onde está a identidade. POOOOMBAS, É UM CHEVROLET.
    Eu olho esse carro de lado (segunda foto) e me parece um Honda
    Eu olho esse carro por trás (primeira foto) e parece um Hiunday…
    Eu heim…

    • Eli_Dedão

      Desenho europeu, remete ao desenho do OPEL Astra, são os orientais que se aproximaram do design europeu.

      Se você enxergar tantos carros assim, isso se chama pareidolia e você está sofrendo de uma pareidolia excessiva, melhor se tratar.

      • Valdek Waslan

        Tá bom então… quem inventou o automóvel? Então quem copiou quem?
        Nada a ver parceiro…
        Esse carro de lado parece um Honda
        e a parte traseira dele parece um carro da Hyundai.
        Agora, se você acha que isso é uma doença, então percorra vários sites e postagens sobre o carro que verás que várias outras pessoas estão dizendo a mesma coisa. O que é? Surto?

    • Jorge Osório Cortese Magalhães

      Realmente a traseira está bem Hyundai.

    • lucas El

      Exatamente o que eu comentei com um amigo, me lembrou muito o novo i30, só que um pouco melhorado… perdeu a identidade agressiva do modelo anterior…