Nissan / Tecnologia

Protótipo da Nissan usa etanol para gerar energia e será testado no Brasil

nissan-e-nv200-fuel-cell (4)

A Nissan já chegou a testar a van elétrica e-NV200 no Brasil – e nós até dirigimos ela. O furgão voltará a circular no Brasil em breve, mas em vez de depender totalmente da recarga de sua bateria, desta vez ele usará etanol para gerar energia em uma célula de energia inovadora no mundo e que foi apresentada na última semana no Rio de Janeiro.

nissan-e-nv200-fuel-cell

Um dos grandes desafios dos carros movidos a hidrogênio está ligado ao armazenamento do combustível e à infraestrutura necessária para seu abastecimento. Na célula de combustível e-Bio utilizada neste e-NV200 pode-se reagir oxigênio com diversos combustíveis para gerar eletricidade, inclusive o etanol, que pode ser usado puro ou em qualquer mistura com até 55% de água.

nissan-e-nv200-fuel-cell (2)

A vantagem está justamente na facilidade de manuseio do etanol e também no fato de existir infraestrutura de abastecimento com etanol em países como o Brasil, Estados Unidos e alguns asiáticos, justamente onde serão feitos os testes de campo com o veículo. Outra vantagem é que as emissões são de carbono-neutro, por fazer parte do ciclo natural do carbono.

nissan-e-nv200-fuel-cell (1)

Funciona assim: a eletricidade gerada pela célula de combustível é armazenada em uma bateria de 24 kWh. Um tanque de 30 litros basta para gerar eletricidade suficiente para rodar mais de 600 km. Vale lembrar que o que move o furgão é um motor elétrico, que garante torque máximo imediato, é bastante silencioso e, se for comparar com um motor a combustão convencional, seria como se ele fizesse 20 km/l com etanol.

Protótipos com sistema e-Bio serão utilizados em teste no Brasil, possivelmente junto a empresas de transporte. Essa tecnologia deverá estar disponível no mercado global a partir de 2020.

  • Airplane

    Brilhante ideia, pois não necessita ser recarregado em tomada com energia elétrica suja (termoelétricas) ou proveniente de represas (hidroelétricas) que destroem o meio ambiente.