Pergunta da Semana

Pergunta da Semana – Você sabe dirigir suavemente?

Em um mundo cheio de pilotos, você sabe ser delicado ao conduzir?

Como diria o grande poeta Ras Bernardo, estamos aí pro que der e vier. Esse combalido escriba do outro lado da linha se encontra nesse momento um trapo humano, com dores atrozes nas costas e sensivelmente cansado. Embora algum leitores festejem tal quadro que parece indicar o final de vida útil deste Frankstein mineiro, venho com uma má notícia: é apenas reflexo de uma semana corrida, onde eu fiz mais uma mudança de domicílio. Deve ser a de número 133.405 nos últimos 8 anos. Para seguir com esse reclame, uma musiquinha que tem a ver com o que aqui colocaremos. Até porque ninguém, exceto o Tony Stark, é de ferro.

Bueno, posto isso, vamos aos fatos: vim trazendo meus cacarecos em uma pick-up grande, versão topo de linha, quase batendo nos 200 mil golpinhos reais. E a bendita não trazia capota marítima por ser acessório instalado apenas nas concessionárias! Sem uma corda à mão, o jeito foi colocar as minhas caixas por toda a extensão da caçamba e, cuidadosamente, colocar minha bicicleta sobre elas para evitar que elas quicassem para fora do compartimento aberto. Já perguntamos qual o melhor carro para se andar devagar. Mas a questão é: você sabe como?

Como cautela, amor e canja de galinha nunca são excessivos, vim dirigindo com toda a suavidade que meus cansados anos me permitem ter. Andando rápido, sim, mas pensando na carga. Até porque a estrada rumo ao interior de Minas é das piores, com um mol de curvas de relevo errado, facões, costelas-de-vaca e depressões que tornam a condução uma agradável experiência. Só que não. Fato é que tudo chegou íntegro, inteiro, como deveria ser. E sem, necessariamente, se rastejar ao longo de 200 quilômetros.

emotionheader

Andar devagar não é sinônimo de andar de forma suave: embora a música dos ingleses do Def Leppard peça para andar devagar com alguém, é possível ser extremamente desconfortável ao dirigir mesmo em ritmos mais lentos. Ironia do destino: se andar devagar por si somente não é a solução, não ande como um louco frenético também. Pois Rick Allen, o baterista da banda, nos minutos finais de 1984 – e ensaiando para vir ao Rock In Rio – estrepou-se com seu recém-lançado Corvette C4 em algum lugar perto de Sheffield. Ok, ele perdeu um braço e continua tocando bateria. Mas simplesmente não faça isso.

Quero terminar isso logo, mas uma outra coisa me salta à cabeça. Recentemente fiz uma viagem de 400 quilômetros no mesmo trecho com meus avós. Eles, confortavelmente instalados em um sedã que se mostra inédito em sua nova geração em nosso mercado. Eu, friamente calculando o conforto a eles oferecidos e a necessidade de andar relativamente depressa – manter velocidade de cruzeiro de 130 km/h em 40% do trajeto é para poucos. Não quero dar uma de Bel Pesce e fermentar meu currículo. Mas que eles chegaram bem, inteiros e muito satisfeitos, isso é fato. Novamente, sem ter que se arrastar pelas estradas tupiniquins.

84-vette-c

Eu rolo a bola para o leitor. Vocês sabem ser suaves ao conduzir – ou se comportam como um troglodita de gestos brutos, nada refinados? Alguma história, opinião ou conhecimento para partilhar? Vamos, deixe abaixo a sua participação!

E até a próxima!

 

  • Douglas

    Difícil é ser suave quando em todo cruzamento tenho que transpor valetas homéricas. Todo cuidado com o dirigir escorre pelo ralo com a reclamação da digníssima.

  • Pedro Cunha

    Acho que no meu caso, depende mais da ocasião e circunstâncias do quê o veículo que estou guiando.
    Quando estou “á passeio”(sem horário á cumprir e/ou sem ponto certo para chegar) gosto de degustar o carro(mesmo que seja o palio economy da esposa – e acreditem, o carrinho é macio e dá certo prazer de guiar) e contemplar a paisagem. Passo as marchas com mais “tempo” e cada frenagem é praticamente um “sussurro” no pedal do freio.
    E o melhor desse comportamento é que ele se reflete na média de consumo. Ás vezes, quando estou nesse “modo suave” ao volante do Monza 2,0(que todo mundo queima e chama de dragão) consigo fazer 12km/l de gasolina na rodovia.
    Houve uma empresa em que trabalhei como motorista e o carro de trabalho era um hyundai HR. Entenda-se que era um “pau-pra-toda-obra”, rodava trechos curtos na cidade e fazia longas viagens “coast-to-the-coast” no RS(Uruguaiana – Chui/Uruguaiana – Rio Grande etc…) e na estrada algumas vezes, dirigindo com parcimônia, conseguia 11~13km/l de diesel. E nem era versão atualizada com aquele delicioso câmbio de 6 marchas(belo overdrive…). Era um modelo 2010 e com 230000km no hodômetro.

  • Matheus Conrado

    Sim dirijo de forma bastante suave.quase todos que andam comigo pela primeira vez observam isso. Aliado á minha poouca idade, é uma surpresa, dizem eles. Gosto de guiar observando as variaveis do trânsito, antecipando as frenagens… no meu carro anterior a modulação do freio era um pouco “arrisca” e junto com a suspensão demasiadamente confortável (Como A maioria dos Fiat) fazia o carro “quicar” pra evitar esse desconforto eu usava sempre o freio motor para ter um conforto maior durante as desacelerações. Não ando como uma lesma, mas minha condução, salvo engano quando estou apressado,é sempre dada prioridade ao conforto e economia de combustível.

  • Fael

    Lembrando que dirigir suave não quer dizer dirigir com lerdeza para atrapalhar o trânsito..rs

  • PtpBahia

    Sim. A maior parte do tempo no transito para ir e voltar do trabalho. Minha esposa reclama, mas quando começo a pisar ela pede para maneirar!! kkk

  • Bruno Santana

    Eu passeio com frequência. Noites e finais de semana. O carro vai deslizando pelas avenidas a 60kmh, quietinho na direita, enquanto ouço música, converso etc.
    Também evito, no trânsito do dia-a-dia, qualquer aceleração que me faça pisar no freio em até 5 segundos. Sabe aquela pisada pra garantir que ninguém vai trocar de fila e entrar na tua frente, mas que não vai mudar nada pra ninguém, visto que o semáforo logo à frente já fechou? Então, abandonei. É uma luta contra o instinto, mas estou vencendo.

    Mas eu não sei se isto é “ser suave”. Eu me considero hoje mais suave, em termos de curvas, frenagens e trocas de marcha, do que era há 5 anos, quando comecei a dirigir diariamente. Mas nunca vou ter coordenação motora pra realmente operar embreagem e marchas sem que os outros sintam, como faz o ídolo Fujiwara Takumi. Sou da turma que vai aderir aos automáticos assim que puder. 😀

  • Elizandro Rarvor

    Dirigir defensivamente é ser suave também? Então sim.