Lançamentos / Latin NCAP / Marcas / Renault / Segurança

Renault Kwid brasileiro se sai melhor que o original indiano e leva três estrelas no Latin NCAP

O pessoal da Renault já pode respirar aliviado. Depois de uma sequência de reprovações do Kwid indiano em testes de segurança, o exemplar brasileiro do subcompacto foi avaliado pelo Latin NCAP e recebeu três estrelas, em um máximo de cinco.

Produzido em São José dos Pinhais (PR), o Kwid foi avaliado em batidas frontais e laterais e garantiu as três estrelas tanto na proteção para o passageiro adulto, como para crianças. Segundo o relatório do órgão que avalia o nível de segurança dos veículos vendidos na América Latina e Caribe, o modelo oferece “um melhor rendimento quanto à proteção, em comparação com a versão fabricada na Índia e com outros da concorrência no mercado, mesmo sob protocolos de avaliação mais exigentes do Latin NCAP”.

A Renault brasileira trabalhou bastante no reforço do carrinho, até para apagar a má impressão que o original da Índia deixou. Em meados do ano, durante avaliações da Global NCAP, o Kwid feito na Ásia zerou por três vezes seguidas nos testes de colisão. Só na quarta, e depois de muitos reforços estruturais, levou uma estrelinha de consolação.

Reforço nas estruturas

O modelo nacional levou um belo trato para passar de ano. Reforços na coluna central, quatro airbags de série e até os 110 kg a mais no peso total garantiram uma reputação pouco melhor ao subcompacto paranaense.

“O Kwid mostrou uma proteção frontal adequada e proteção marginal contra impactos laterais com uma proteção fraca no peito do adulto, porém suficiente para alcançar as três estrelas sólidas na proteção deste ocupante. No impacto lateral, a estrutura evitou atravessar, de forma excessiva, a barreira de impacto lateral que, combinado com o airbag do tórax lateral, conseguiu manter as lesões dos adultos por baixo da alta probabilidade de risco de vida”, diz o parecer da Latin NCAP.

O relatório da entidade de segurança até deixa no ar que o carro poderia ter se saído um pouco melhor. No caso da proteção infantil, por exemplo, o órgão enaltece a ancoragem Isofix de série, mas critica a ausência de interruptor para desativar o airbag frontal do passageiro. Outra queixa do Latin NCAP é quanto à falta de cintos de três pontos em todas as posições.

Veja o vídeo com o teste de colisão do Renault Kwid brasileiro no Latin NCAP: