Articles by: Pedro Ivo Faro

Mercedes CLA ganha mudanças discretas

Novas versões com opcionais inéditos estreiam em julho na Europa

Mercedes-AMG CLA 45 Shooting Brake; X117; 2016 Exterieur: Diamantweiß; Interieur: Schwarz, Performance Sitze; Kraftstoffverbrauch (l/100 km) innerorts/außerorts/kombiniert:  9,2/5,6/6,9 CO2-Emissionen kombiniert: 162 g/km Exterior: diamond white: interior: black, performance seats; Fuel consumption (l/100 km) urban/exurban/combined:   9.2/5.6/6.9 combined CO2 emissions:  162 g/km

Pode ser que você nem perceba, mas Mercedes-Benz fez mudanças no CLA e no CLA Shooting Brake. As diferenças no design estão na grade e nos para-choques dianteiro e traseiro novos. De resto, as novidades estão em novos equipamentos e opções de motorização.

Leia mais ›

por 18 de março de 2016 Mercedes-Benz

Jeep Grand Cherokee Trailhawk cai na rede

Versão preparada para o off-road será mostrada no Salão de Nova York

Jeep-Grand-Cherokee-Hellcat-Trailhawk-3

Uma das principais atrações da Jeep para o Salão de Nova York, que começa na próxima quarta-feira, é o Jeep Grand Cherokee Trailhawk. Ainda não se trata da versão que receberá o motor V8 supercharged de 707 cv dos Charger e Challenger Hellcat. Este se destaca pela preparação para o off-road mais pesado.

Leia mais ›

por 18 de março de 2016 Jeep, Salão de Nova Iorque

Primeiras impressões – Audi A3 Sedan 1.4 TSI Flex

Por R$ 99.900, sedã tem itens simplificados e mais equipamentos

Audi A3 Sedan Flex 2016 (23)

“Agora o Audi A3 é nacional”. Fosse dita no final dos anos 90, essa notícia soaria como uma novidade e tanto para o mercado nacional. Mas hoje, mais de 15 anos depois, é apenas reprise. Agora é a vez do Audi A3 Sedan ganhar espaço nas fábrica de São José dos Pinhais (PR) e arranhar o português. Com equipamentos novos e mecânica modificada, parte dos R$ 99.900.

Leia mais ›

por 12 de novembro de 2015 Audi, Lançamentos

Yamaha Teneré 250 com nova traseira é flagrada

Pequena aventureira deve aparecer com as alterações ainda este ano

nova-tenere-250-2016-3
Uma das queridinhas dos motociclistas chegados a aventura, a Yamaha Teneré vai ganhar uma reestilização na sua versão de baixa cilindrada a Teneré 250. As imagens, vazadas da internet, antecipam a linha 2016 do modelo, que deve chegar ao mercado nos próximos meses. E o destaque das novas linhas fica para a traseira. A nova aventureira de baixa cilindrada vai ganhar uma rabeta completamente nova e bem mais parruda, em contraste às linhas simples do modelo atual. Para reforçar o aspecto de robustez, alças maiores e um suporte traseiro mais longo, além de uma proteção na cor preta para o escape. A nova traseira parece bem mais harmônica que a atual, lembrando um pouco a da irmã menor Crosser 150.
nova-tenere-250-2016-1
Junto da nova traseira, vem também uma nova lanterna, que, segundo afirmam algumas fontes, pode ser de LED, enquanto que os piscas deixarão de serem laranjas para assumirem a cor branca. As imagens que vazaram também mostram um grafismo inédito para o tanque, mais dinâmico, e pode haver mudança no para-lama dianteiro (peça ausente na moto fotografada). São esperadas ainda alterações no painel de instrumentos.
nova-tenere-250-2016-2
Novo coração?
E não é só na estética que a nova Teneré trará mudanças. O motor também pode passar a ser outro. A novidade pode ficar por conta do motor bicombustível que já equipa a Fazer 250 BlueFlex, talvez como opção (como acontece na Fazer) ou como versão única. O preço atual, R$ 13.990, não deve sofrer reajuste significativo.

por 23 de abril de 2015 Segredos, Yamaha

KTM 200 e 390 Duke chegam em maio

Motos devem se tornar os modelos de maior vendagem da marca no país

 

2014-KTM-200Duke1

Continuando os planos que já possuía de se expandir no Brasil através do grupo Dafra, a KTM traz este mês, dois novos modelos para completar sua linha. São as esportivas de baixa cilindrada 200 e 390 Duke. Ambas chegam com o intuito de serem os modelos de maior vendagem da marca no país. A ideia da empresa é, somando as duas motos, vender cerca de 3 mil unidades anuais e brigar com concorrentes na casa das 250 e 300 cilindradas a partir de maio. 2013-KTM-390-Duke-01
Ainda que os preços delas não tenham sido confirmados, já á uma estimativa: a 200 Duke deve ficar na casa dos R$ 15 mil, enquanto que a 390 Duke deve chegar por R$ 21 mil. Os valores estimados também permitem posicioná-las hipoteticamente na concorrência: de um lado, concorrem com modelos como Honda CB 300R (R$ 12.893) e Yamaha Fazer 250 (R$ 13.125) e do outro com motos maiores, como a Honda CB 500F. (R$ 23.053). As austríacas compensam a cilindrada menor com cavalaria próxima das concorrentes, além de recursos técnicos mais refinados e menor peso.

Refinadas

2014-KTM-200Duke5

Na lista de equipamentos mais refinados da KTM há, por exemplo, as suspensões das Dukes são da marca WP, reconhecidas pela alta qualidade de funcionamento. Na dianteira, os amortecedores são do tipo invertido, algo que traz diferencial para o segmento de menor cilindrada. E equipamentos mais refinados também acabam justificando a diferença de preço frente à concorrência, obviamente. Ambas também trazem em comum uma coisa: o mesmo motor. Praticamente igual nas duas, o propulsor de um cilindro é o mesmo, mas com um cilindrada maior no caso da 390 Duke. Na 200 Duke, a cilindrada é de 199,5 cilindradas e é capaz de render 25 cavalos de potência, enquanto os 373,2 cilindradas da 390 chegam aos 43 cavalos de potência. As concorrentes de motor maior, tanto da 200 quanto da 390, têm potências semelhantes, vale lembrar. a CB 300R teórica rival da 200 chegando a 26,53 cavalos, enquanto a CB 500F, que em tese rivaliza com a 390 Duke, tem 2 cilindros e rende 50,4 cavalos.

por 23 de abril de 2015 KTM, Lançamentos

Nissan poderá produzir modelos Renault em Resende

Fábrica da marca japonesa poderia auxiliar a coirmã francesa

fabrica-de-motores-nissan-rio-de-janeiro-20140328_0005
Nissan e Renault formam uma aliança há mais de 15 anos, não é novidade. Graças à francesa (e à expertise do brasileiro Carlos Ghosn), a marca japonesa saiu da falência iminente para se tornar uma das marcas rentáveis do mundo em poucos anos. E, ao que tudo indica, no Brasil vai haver uma certa “retribuição de favores”, com modelos da Renault sendo produzidos em plantas da Nissan. fabrica-de-motores-nissan-rio-de-janeiro-20140403_0002
Na última semana, a fábrica da Nissan em Resende (RJ) completou um ano em operação, e, na ocasião, o presidente da marca no Brasil, François Dossa, aproveitou para falar sobre a importância e a intensificação da aliança Renault-Nissan no país. Inicialmente ele destacou a importância da aliança para a Nissan, pois o maior tempo de mercado no país e o know-how da Renault junto a fornecedores, por exemplo, foram fundamentais para acelerar as operações da marca japonesa por aqui. E completou dizendo que existe a possibilidade da marca produzir carros para a parceira Renault no Complexo de Resende no futuro.
maxresdefault
Mas, vale lembrar que, apesar de toda essa sinergia, as marcas têm diferentes estratégias de mercado, e quando se fala de produto, naturalmente, são concorrentes. Atualmente a unidade fabril de Resende produz os modelos Versa e March, com ciclo completo de produção e capacidade total de 200 mil veículos e motores por ano. No entanto, para 2015 estima-se que sejam produzidos 68 mil veículos, somados o hatch e o sedã.
Com informações do Carplace

por 22 de abril de 2015 Nissan

Harley-Davidson divulga preços da linha 2015

Apesar da nova lista, valores de alguns modelos não mudaram
13-hd-iron-883-bs-large

A Harley-Davidson divulgou sua tabela de preços sugeridos para o público nacional, numa lista que está vigente desde o dia 1º de abril. Dos 20 modelos da marca disponíveis no mercado brasileiro, alguns deles não tiveram alterações nos preços, por terem sido lançados no fim do ano passado, já como linha 2015, sendo eles Street Bob (a partir de R$ 44.400), Low Rider (a partir de R$ 46.600), Breakout (a partir de R$ 58.700), CVO Street Glide (R$ 111.000) e CVO Limited (R$ 126.500). 082714-2015-harley-davidson-CVO-street-glide-TR1_4696
Por outro lado, houve alterações. Por exemplo, a Iron 883 da família Sportster, agora é oferecida por R$ 34.900, na opção de cor com 1 tom, e R$ 35.800 na opção de pintura Hard Candy Custom, enquanto que uma das representantes de cilindrada mais alta, a 1200 Custom, tem preço inicial sugerido de R$ 38.400 para a versão Vivid Black. Os preços têm como base o estado de São Paulo, e já têm os valores de frete e seguro inclusos.
MCY0714-LOWR-081

por 15 de abril de 2015 Curiosidades

Kawasaki tem boas novidades na linha 2016

São cinco lançamentos entre nakeds, esportivas, aventureiras e customs

kawasaki-ninja-h2r-1
Para entrar 2015 com uma situação diferente de como fechou 2014 (com queda nas vendas e fechamento de algumas revendas), a Kawasaki decidiu chegar com chumbo grosso esse ano. E, no fim de março, apresentou praticamente todas as novidades da linha 2016, que devem dar as caras entre abril e junho deste ano. De uma vez só foram apresentadas a superesportiva Ninja H2, as aventureiras Versys 650 e Versys 1000, a custom Vulcan 650, a naked de baixa cilindrada Z300 (veja matéria sobre ela nesta edição) e ainda a HLX 110, específica para o uso em cross. A ideia é, além de ampliar a linha, explorar segmentos em que ela não atuava por aqui.
Ninja-H2-2
O maior destaque, claro, ficou para a Ninja. Prestando homenagem à lendária H2, de 1971, a nova moto já impressiona pelo conjunto mecânico. O motor de quatro cilindros e 998 cilindradas tem um compressor mecânico, que catapulta a potência para 200 cv e ignorantes 13,6 kgfm de torque – e a potência sobe para 210 cv com uma tomada de ar especial! O desenvolvimento dela foi possível graças à experiência da marca com turbinas de aviões e caixas planetárias.
Ninja-H2-4 O supercharger foi escolhido pois funciona através de polia (e não pelos gases de escape, como é com um turbo), além de eliminar um intercooler, o que aumentaria o peso da moto. E, além disso, ela já chega adaptada à gasolina E25 (ainda que o padrão atual seja E27, ou seja, 27% de etanol). As linhas, apesar de futuristas, foram feitas em túnel de vento, sendo altamente funcionais, e a cor, para ser exclusiva, teve aplicação de prata na tinta, dando efeito espelhado. O painel concentra um grande número de informações dentro do conta-giros analógico (com destaque para o grafismo em formato crescente), incluindo um controle de largada, que trava o giro em 6 mil rpm para melhor aceleração possível. Dupla aventura
Kawasaki-Versys-650-2015-4[2]Já no segmento aventureiro, as Versys 650 e 1000 trazem novidades. A menor inaugura um estilo mais agressivo, além de subquadro redimensionado para maior capacidade de carga, bem como novos freios. O painel de instrumentos agora é o mesmo da naked ER-6n, e o motor de dois cilindros e 649 cilindradas agora tem 69 cv (5 a mais). Ela chega em julho, custando R$ 32.990 na versão standard e R$ 35.990 para a versão com ABS.
kawasaki-versys-1000-2015_021-770x578[2]
Já a irmã maior, de 1000 cilindradas será a primeira das novidades a aparecer no mercado brasileiro, logo este mês. Por R$ 53.990, traz o mesmo design renovado da 650 e um motorzão quatro cilindros de 1.043 cilindradas e 120 cv, com câmbio de seis marchas. Ganhou cavalete central e para-brisa ajustável (este também na 650). E ela ainda ganhará uma versão Grand Tourer, mais equipada, a partir de julho.

Para a estrada
kawasaki-vulcan-s-2015_17[2]

E a estradeira da lista de lançamentos chegou como surpresa entre as motos da Kawasaki para 2015. Num segmento em que a marca não tem tanta tradição no país, a Vulcan 650 chega usando o mesmo conjunto mecânico da ER-6n – que, por sua vez, também foi cedido para a Versys 650. Mas, na Vulcan, ele é um pouco menos potente, tendo 61 cv, acoplado a um câmbio de seis marchas. As linhas lembram as da irmã maior Vulcan 900 (que é vendida no país) e ela chega ao mercado entre junho e julho. Ainda que os preços não tenham sido definidos, estima-se que ela deve ficar na faixa da rival Honda CTX 700N, que custa na casa dos R$ 30 mil. Fazendo volume de vendas
kawasaki-z300-2015-1
Apesar dos olhares terem sido polarizados para a Ninja H2 e sua tecnologia e desempenho superlativos, aquela que terá a missão de representar a marca em maior peso nas ruas será a pequena Z300.
z300-2015-10[2] A pequena naked é muito aguardada pelos consumidores e também é a grande aposta da montadora oriental no Brasil. Ela deve chegar em julho, e ainda não tem preço definido, mas estimativas apontam que ela deve ficar abaixo da “irmã carenada” Ninja 300, que hoje está custando R$ 18.990, para a versão base, e R$ 21.990, para a com ABS.. Ou seja, um chute na casa dos R$ 17 mil é uma aposta certeira.
2015-Kawasaki-Z300-016
Mecanicamente, ela é, como dito acima, uma “irmã gêmea” da Ninja, herdando todo o conjunto, e, principalmente, o motor de dois cilindros e 39 cv de potência a 11.000 rpm, acoplado ao câmbio de seis marchas. A posição de guiar é um pouco diferente da Ninja 300, com o guidão elevado e mais aberto, e as linhas da pequena naked lembram bastante as da “irmã maior” Z800.
110414-2015-kawasaki-z300-15
A Kawasaki não tem uma estimativa de números de vendas para a Z300 no país, mas sabe que ela e a Ninja 300 podem rivalizar dentro da própria marca, lembrando que em 2014 foram vendidas 2.478 Ninja 300 no país.

por 14 de abril de 2015 Kawasaki, Lançamentos

A semana foi agitada para a Ford

Fabricante anunciou planos de demissão voluntária e demissões em layoff

robos-soldam-carros-na-fabrica-da-ford-motor-em-sao-bernardo-do-campo-em-junho-de-2012-1358267275658_1920x1080
Mesmo com o anúncio de um segundo centro de personalização no país, a Ford também seguirá os passos já feitos por Mercedes-Benz e General Motors e também abrirá um Plano de Demissão Voluntária (PDV) no ABC Paulista. Tal medida começou a vigorar a partir da última segunda-feira, 30 de março, para funcionários da fábrica de São Bernardo do Campo (SP), onde fica a sede da montadora, informou o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. operario-em-uma-fabrica-de-carros-da-ford-em-sao-bernardo-do-campo-sao-paulo-13082013-reutersnacho-doce-1399472944579_1920x1080
Segundo a entidade, a medida faz parte de um acordo aprovado entre as duas partes, que inclui também a estabilidade no emprego, até 2017, aos que não aderirem ao PDV. Segundo o sindicato, a fábrica de São Bernardo do Campo tem 4.400 funcionários, e em fevereiro deste ano a montadora anunciou o afastamento por tempo indeterminado de 424 funcionários em São Bernardo, por meio de banco de horas. A Ford ainda não divulgou qual foi a meta dela ao aderir ao PDV, mas conforme o sindicato, tem de 400 a 600 trabalhadores excedentes. Isso considerando a queda nas vendas e, consequentemente, na produção de veículos no Brasil. No primeiro bimestre o volume que saiu da fábrica foi 22% menor que no mesmo período do ano passado, enquanto que os emplacamentos caíram na mesma proporção.

Outros detalhes

Os representantes dos trabalhadores informaram que quem aderir à demissão voluntária na Ford receberá 83% do salário por ano trabalhado. Para quem tem restrição médica, o percentual será de 140%. E, além disso, o acordo coletivo prevê como serão os salários até 2016. Neste ano, o reajuste pelo Índice Nacional de Preços do Consumidor (INPC) e o aumento real serão pagos em forma de abono. Em 2016 o abono contemplará somente o aumento real, de R$ 1.700, e os salários serão reajustados pelo INPC. Também ficou definida a participação nos lucros (PLR) até 2016.
Fábrica de Motores Ford_36
E, ainda segundo o sindicato, a montadora cse comprometeu a reduzir a contratação de terceirizados e a trazer novos modelos e versões para a unidade, que atualmente produz o New Fiesta Hatch e caminhões. Lembrando que, além de São Bernardo do Campo, há também a planta de Camaçari (BA) de onde saem os novos Ka e Ka+ (sedã) e o EcoSport.

Demissões

E, ainda na Ford, não houve só o PDV. A fábrica de motores que a montadora possui em Taubaté, no interior paulista, dispensou cerca de 140 funcionários em regime de layoff (contratos de trabalho suspensos). A demissão foi anunciada no último dia de março, que era justamente o dia para o retorno das atividades dos trabalhadores. O sindicato que reúne os metalúrgicos da região informa que os empregados demitidos tiveram de aderir ao PDV (Plano de Demissão Voluntária) são os que tiveram os contratos suspensos entre e agosto e setembro de 2014.
Governador Jaques Wagner participa da inauguração da fábrica de motores da Ford



Foto: Carol Garcia/GOVBA
A Ford, na ocasião do layoff, declarou que a medida tem por objetivo ajustar o ritmo de fabricação à demanda do mercado. A fábrica paulista emprega aproximadamente 1.500 funcionários e é responsável pela produção de transmissões e dos motores 1.5 e 1.6 da família Sigma. Vale lembrar que estes motores equipam os Ka e a versão sedã do hatch, a Ka+, além das versões 1.6 de EcoSport e as duas versões do New Fiesta e das versões de entrada do Focus na América do Sul.

por 4 de abril de 2015 Ford

Renault Duster reestilizado será lançado em 31 de março

Alterações estéticas visam manter modelo em alta no mercado

2015-03-11 14.13.19
A concorrência está chegando com tudo. No espaço de um mês HR-V, Jeep Renegade, Peugeot 2008 e JAC T6 chegarão às lojas. E a Renault já está se mexendo para fazer frente aos novatos que estão com a reestilização do Duster, que já tem data prevista para estrear no mercado: 31 de março. 2015-03-11 14.13.51
O novo visual é esse do carro flagrado nas fotos. Não é tão fiel ao Duster vendido na Europa com grade dianteira e lanternas traseiras próprias, além de adereços que aumentam a distância em relação aos Dacia.  Já o nome do carro estampado no rack de teto é novidade vista no mundo inteiro.
2015-03-11 14.14.32
Por dentro, novo quadro de instrumentos na cabine, e novos equipamentos de série para continuar fazendo frente aos rivais. Mecanicamente, permanece a oferta das versões 1.6 manual, 2.0 manual e automático e 2.0 4×4 manual de seis marchas.
2015-03-11 14.13.29

por 17 de março de 2015 Lançamentos, Renault