KTM

Parceria entre KTM e Mitsubishi resulta na nova L200 Triton KTM Series

Veículo traz de série extensor de caçamba, kit multimídia e pintura especial

265769_546657_rdur3487

Referência em esportes off-road e campeãs do maior rally do mundo, o Paris-Dakar, KTM e Mitsubishi se uniram para o lançamento de uma nova versão para a conhecida L200. Chamada de L200 Triton KTM Series, a picape terá produção limitada a apenas 200 unidades, que serão comercializadas no País a partir do mês de novembro. Leia mais ›

por 7 de outubro de 2015 KTM, Lançamentos, Mitsubishi

KTM 200 e 390 Duke chegam em maio

Motos devem se tornar os modelos de maior vendagem da marca no país

 

2014-KTM-200Duke1

Continuando os planos que já possuía de se expandir no Brasil através do grupo Dafra, a KTM traz este mês, dois novos modelos para completar sua linha. São as esportivas de baixa cilindrada 200 e 390 Duke. Ambas chegam com o intuito de serem os modelos de maior vendagem da marca no país. A ideia da empresa é, somando as duas motos, vender cerca de 3 mil unidades anuais e brigar com concorrentes na casa das 250 e 300 cilindradas a partir de maio. 2013-KTM-390-Duke-01
Ainda que os preços delas não tenham sido confirmados, já á uma estimativa: a 200 Duke deve ficar na casa dos R$ 15 mil, enquanto que a 390 Duke deve chegar por R$ 21 mil. Os valores estimados também permitem posicioná-las hipoteticamente na concorrência: de um lado, concorrem com modelos como Honda CB 300R (R$ 12.893) e Yamaha Fazer 250 (R$ 13.125) e do outro com motos maiores, como a Honda CB 500F. (R$ 23.053). As austríacas compensam a cilindrada menor com cavalaria próxima das concorrentes, além de recursos técnicos mais refinados e menor peso.

Refinadas

2014-KTM-200Duke5

Na lista de equipamentos mais refinados da KTM há, por exemplo, as suspensões das Dukes são da marca WP, reconhecidas pela alta qualidade de funcionamento. Na dianteira, os amortecedores são do tipo invertido, algo que traz diferencial para o segmento de menor cilindrada. E equipamentos mais refinados também acabam justificando a diferença de preço frente à concorrência, obviamente. Ambas também trazem em comum uma coisa: o mesmo motor. Praticamente igual nas duas, o propulsor de um cilindro é o mesmo, mas com um cilindrada maior no caso da 390 Duke. Na 200 Duke, a cilindrada é de 199,5 cilindradas e é capaz de render 25 cavalos de potência, enquanto os 373,2 cilindradas da 390 chegam aos 43 cavalos de potência. As concorrentes de motor maior, tanto da 200 quanto da 390, têm potências semelhantes, vale lembrar. a CB 300R teórica rival da 200 chegando a 26,53 cavalos, enquanto a CB 500F, que em tese rivaliza com a 390 Duke, tem 2 cilindros e rende 50,4 cavalos.

por 23 de abril de 2015 KTM, Lançamentos

KTM traz a 1190 Adventure para o Brasil

Maxitrail vem diretamente da fábrica de Mattighofen, na Áustria

2015-KTM-1190-Adventure-R3
A KTM já fincou bandeira no Brasil, mais precisamente desde o ano passado. E segue se expandindo em território nacional. Depois das motos de baixa cilindrada, uma das suas maiores representantes no segmento de alta cilindrada (e, ainda por cima, das maxitrail), desembarca por aqui: trata-se da 1190 Adventure. 2015-KTM-1190-Adventure-R2 O modelo chegou a partir da última segunda-feira, 9, oferecida nas cores laranja e cinza. Ela vem equipada com um motor de dois cilindros em V, de 1.195 cilindradas, que entrega 148 cv de potência, acoplado a uma transmissão manual de seis velocidades. Ela vem importada diretamente da fábrica da KTM em Mattighofen, na Áustria, e traz ainda chassi tubular ultraleve, acelerador eletrônico “Ride-By-Wire”, embreagem deslizante, conjunto de suspensões de alto curso WP (invertidos na dianteira e com regulagens eletrônicas de amortecimento e carga na traseira) e o amortecedor de direção WP.
99379_1190_Adventure_MY_2015 Em termos de frenagem, o conjunto é da marca italiana Brembo, com pinças radiais de 4 pistões na roda dianteira e com duplo pistão na roda traseira, e, pensando na segurança, ela traz o C-ABS (Combined ABS) com modos de regulagem eletrônica e com atuação otimizada em curvas. E, para o conforto, além do assento em dois níveis, há regulagem para o suporte dos pés, e ajuste do para-brisa dianteiro.
2014-KTM-1190-Adventure-Reviews A modernidade aparece no painel em LCD configurável com botões, onde toda a tecnologia da nova aventureira pode ser regulada. É possível controlar o MTC (Motorcycle Traction Control) e os 4 Ride Modes (Sport, Street, Rain e Off-Road), sendo o Off-Road Mode o que permite reduzir a ação do ABS na roda traseira para uma pilotagem mais esportiva (ou mais radical, já que ela também tem determinada aptidão para terrenos ruins). 2015-KTM-1190-Adventure-R4

por 11 de março de 2015 KTM, Lançamentos, Motocicleta

KTM divulga teaser do X-Bow GT4

Versão de pista tem motor 2.0 de 320cv e câmbio especial

0000
Além de motos, a austríaca KTM também fabrica o esportivo X-Bow, uma espécie de moto com quatro rodas que faz bonito em track days com seu motor 2.0 Turbo de 240cv. Para aumentar os horizontes do modelo, recorreu a Reiter Engineering para que o X-Bow possa fazer parte do grid das categorias Pirelli World Challenge GT-S e GT4 SRO, e assim ele chegou aos 320cv. Com apenas uma imagem divulgada, o KTM X-Bow GT4 também não tem muitas especificações  conhecidas. Sabe-se que incluíram freios ABS otimizados e câmbio sequencial de seis velocidades com trocas por meio de borboletas e proteção para possíveis colisões fornecido pela Holinger. Mais detalhes serão divulgados em breve.

por 19 de dezembro de 2014 KTM, Teasers

KTM inicia testes no Brasil

Modelos 350 EXC-F e 250 EXC-F estão próximos de irem às ruas
 
KTM_250_EXC-F_2010_03_1024x768


Pra deixar os aficionados por duas rodas com (ainda mais) água na boca – em especial os fãs da austríaca KTM – a Dafra divulgou novas informações sobre o processo de readaptação das motos no Brasil. Semana passada a marca finalizou o processo de “try out” com os dois primeiros modelos da marca austríaca, as enduro KTM 350 EXC-F e 250 EXC-F. O processo é importante por ser uma etapa preparatória para o início da produção em larga no Brasil, que já tem data fixa para começar, sendo nesta segunda, 8 de dezembro. KTM_350_EXC-F_2013
Para conhecer melhor como é o processo de construção, os detalhes de produção e garantir o padrão de qualidade das futuras KTM nacionais, a equipe da Dafra foi até a unidade de Mattighofen, na Áustria, onde passou por treinamentos especiais ministrados por engenheiros da unidade de manufatura, incluindo processos de montagem, inspeção de qualidade e logística interna, com finalização acontecendo já em Manaus (AM).
ktm-250-exc-f-six-days-rodando-1
E se o primeiro passo foi os técnicos brasileiros irem até a Áustria, depois a recíproca se tornou verdadeira também. ““Depois de dois meses de treinamento na Europa, nossa equipe teve aqui em Manaus o acompanhamento de nove técnicos da KTM que coordenaram este lote piloto de produção para assegurarem que a montagem de motos e motores segue os mesmos processos e critérios utilizados na matriz”, explicou José Lemos, diretor industrial da Dafra.
6e8a2d068b Motorizando
E, pela primeira vez em 60 anos de história da KTM, os motores das motos serão feitos fora da Áustria. Em solo nacional, além das motos, os respectivos propulsores também entrarão na linha de montagem. E, segundo a marca, a capacidade diária de produção será de 65 motores.
ktm-moto3-race-bike-assembly-line
O processo de “try out” das 350 EXC-F e 250 EXC-F continuou após a montagem, onde elas serão submetidas a diferentes avaliações em laboratório, bem como desempenho em dinamômetro, antes de seguir para os testes práticos de rodagem.

por 4 de dezembro de 2014 KTM

KTM retorna ao Brasil em parceria com a Dafra

Linha da montadora austríaca terá 14 modelos até o final de 2014

KTM is back (1)
O anúncio oficial já havia sido feito em março, mas agora foi dado mais um passo. A KTM, renomada fabricante austríaca de motocicletas, enfim está retornando às operações no Brasil, em parceria com a brasileira Dafra. E, chegando com força, já anunciou a importação de 14 modelos de sua linha para o nosso país. KTM is back (2)
Inicialmente chegam as motos de rua 1290 Superduke R, 1190 Adventure R, 1190 RC 8 R, 1190 Adventure, além das off-road 65 SX e 50 SX em dezembro, todas importadas. Na mesma época começa a montagem (em regime CKD, ou seja, onde as motos são trazidas desmontadas e montadas aqui), em Manaus, das 250 EXC-F, 300 EXC e 350 EXC-F, todas para uso na terra.
KTM-1190-RC8-Black-White
Em 2015 chegam as vedetes da marca, as 200 e 390 Duke, ambas de uso urbano. Junto com elas, também serão montadas pela Dafra as RC 390, a 250 SX-F e a 350 SX-F, sendo que todas estas estão previstas para o segundo semestre de 2015. Ainda assim, há modelos que ficaram de fora da lista, como as 690 Duke e 125 Duke, e o restante da família de pequenas esportivas, composta por RC 125 e RC 200. Nas palavras da direção executiva da KTM no Brasil, era impossível trazer toda a linha neste momento. Mas eles também afirmam que, de toda a linha, a 200 Duke já será colocada em solo nacional com uma intenção: roubar possíveis compradores das Honda CB 300 e Yamaha Fazer 250. Os planos iniciais da KTM no Brasil são de completar 3.000 vendas, 1.800 motos das linhas de alta cilindrada e off-road e mais 1.200 das linhas Duke e RC. A marca também garante que os clientes não precisarão se preocupar, pois eventuais danos no passado serão sanados, referente à época que a montadora era controlada no Brasil pelo grupo Izzo e fechou as portas em 2012. img73053-1386706917-v580x435

por 10 de junho de 2014 KTM, Motocicleta

KTM X-Bow agora tem parabrisa e portas

Por sorte ele já tinha chassis e motor, e dos bons!

ktm-x-bow-gt-1
Criado para ser uma espécie de moto com quatro rodas e fazer a cabela de quem curte track days, o KTM X-Bow é daqueles carros que seguem a receita simples de motor + chassi, como falamos no outro dia. E uma das novidades para a linha 2013 é o X-Bow GT que agora tem  parabrisas e, pasmem, portas! ktm-x-bow-gt-2
O KTM X-Bow GT compartilha da mesma mecânica do X-Bow R, e inclusive o mesmo chassi monocoque em fibra de carbono desenvolvido pela Dallara, o que quer dizer que nele o motor 2.0 TFSI fornecido pela Audi gera 285 cavalos, enviados para o eixo traseiro. Desta forma vai de 0 a 100 km/h em menos de 4 segundos. O problema é que isso tem um preço: 50 mil euros, o equivalente a R$ 130 mil.
ktm-x-bow-gt-3

por 28 de fevereiro de 2013 KTM, Salão de Genebra

Um motor e um chassi

“Direção hidráulica, freios ABS e ar condicionado são meros caprichos mundanos”

autowp.ru_ktm_x-bow_r_6
Existem alguns que gostam de carros. Existem outros que dizem que gostam. Pela básica definição: "automóvel é um veículo motorizado, de quatro rodas, geralmente destinado ao transporte de passageiros ou mercadorias." Só. A direção hidráulica, os freios ABS e o ar condicionado, portanto, são meros caprichos mundanos. autowp.ru_ktm_x-bow_gt4_7
Percorrendo esse pensamento e na busca da essência automotiva, conceitos foram extremados. Sob o foco de um holofote foi posta a velocidade. Embaixo do outro, simplicidade. Na mistura das luzes enxerga-se a criação austríaca X-Bow. O foguete produzido pela KTM é o responsável por marcar 3,9 segundos em 0-100 km/h. Esse feito por si só já seria bem animador. Contudo o surpreendente é quando exposto é que a explosão da máquina provém de um não tão incomum motor Audi 2.0 16v Turbo. O segredo está no peso: 790 kg é muito pouco. O resultado mostra-se no pescoço: 31,6 kgfm de toque.
Ariel Atom 3 2008
Outro exótico monstrinho da mesma linha é conhecido por Atom. Criado pela empresa britânica Ariel, esse conjunto quase que ”carroceria-piloto” atinge a velocidade de 100 km/h em torno de 2,7 segundos. É incrível. Mesmo. A esmagadora aceleração obviamente deve-se também a falta de peso: 480 kg. A motorização encarregada da diversão é japonesa: Honda 2.0 i-Vtec. A potência é baixa, por isso as máximas não são dignas de grandes notoriedades (para um superesportivo). Ficam pela casa dos 240 km/h. O coração trabalha a 245 cv; podendo alcançar fôlegos maiores de 300 e 500 cv em outras versões. As duas estruturas são grandes carros. Não há discordância pois é fato. Tem a ver com o início de tudo, de toda paixão. É relacionado sobre a escolha de quem apenas diz que gosta dos carros. Por Thiago Ramos autowp.ru_prochie_ariel_atom_12

por 18 de fevereiro de 2013 Ariel, KTM

KTM X-Bow é lançado por R$ 290 mil

KTM-X-Bow_2008_1600x1200_wallpaper_07
Enquanto aguardamos para os próximos meses o Ariel  Atom, a KTM já começa a vender no Brasil seu "brinquedinho de rico", o KTM X-Bow. Se trata do primeiro veículo esportivo de quatro rodas da austríaca KTM, um carro criado para as pistas que pode ser legalizado e ganhar as ruas. KTM-X-Bow_2008_1600x1200_wallpaper_17
Nada discreto, o modelos custa R$ 290 mil e é equipado com o motor 2.0 TFSI da Audi com  240cv (lá fora existe uma versão com 300cv) e câmbio manual de seis marchas. Ele é mais pesado que um Atom; tem 790kg, o que dá uma relação peso/potência de 3,3 kg/cv, mas ainda assim chega aos 100km/h em 3,9s. A velocidade máxima é de 220 km/h.
ktm-x-bow-prototype-2
Fonte | Autoesporte

por 18 de janeiro de 2011 Brasil, KTM, Lançamentos