Ssangyong

Novo SsangYong Rodius tem esboços divulgados

Um dos carros mais feios do mundo terá uma nova chance

SsangS1abre1
Sempre com posição garantida no topo das listas de carros mais feios do mundo desde 2004, quando foi lançado, o SsangYong Rodius terá uma nova chance. A fabricante sul-coreana divulgou esboços da nova geração do crossover, que adota formas semelhantes ás adotadas pelos novos modelos da marca, muito mais interessante. SsangS2abre
Apesar de não perder as formas gerais, o modelo ganha vincos marcantes e tem volumes melhor distribuidos. Os belos faróis e lanternas são determinantes no novo design do modelo. De toda forma ele não deverá perder sua melhor característica: o espaço. O modelo atual possui versões de 5, 7, 9 e 11 lugares. Na parte mecânica, não são esperadas muitas novidades em relação ao que a marca já utiliza nos seus modelos atuais. No ano passado o Rodius recebeu um novo motor diesel e-XDi200 de 155 cavalos associado a uma transmissão automática E-Tronic Benz de 5 marchas. Manual de seis também está disponível.

autowp.ru_ssang_yong_rodius_uk-spec_2autowp.ru_ssang_yong_rodius_uk-spec_4

Via Car And Driver

por 18 de janeiro de 2013 Segredos, Ssangyong

Salão do Automóvel – SsangYong lança Rexton W, Chairman e nova Actyon Sports

IMG_3047
A SsangYong apresentou três novidades para o mercado brasileiro no Salão de São Paulo. A primeira e principal é a nova picape Actyon Sports, com alterações visuais e mecânicas, o novo Rexton W e o sedan Chairman W também foram mostrados e chegam no início de 2013. Informações sobre a fábrica da marca no Brasil foram divulgadas. O conceito XIV-2 e outros modelos da marca já vendidos por aqui completam o estande. IMG_3053
A cidade escolhida para a instalação da fábrica foi Linhares-ES e a empresa possui apoio do governo. Esta planta será compartilhada com Changan e Haima, que também são representadas no Brasil pelo grupo Districar. Ainda não está decidido se a fábrica trabalhará em modo CKD ou não. Os investimentos iniciais serão de 300 milhões de dólares e deverá entrar em operação em 2014. O Korando será um dos carros produzidos ali. IMG_3054
A picape Actyon Sports, que até aqui tinha um visual bastante controverso, melhora muito com uma reestilização de assinatura Giorgetto Giugiaro. Possui ainda novo motor diesel e-DXi com emissões Euro5. Com uma boa lista de equipamentos e motor atendendo as normas Euro5, a picape chega às lojas neste mês, em três versões partindo de R$ 89.900.

IMG_3045IMG_3048

O sedan de luxo Chairman W chega ao mercado brasileiro com motor de seis cilindros em linha 3.2 de 225 cv e um visual bastante discreto. Suas linhas remetem ao Classe S anterior e Hyundai Genesis, principalmente por conta da grande grade cromada com filetes horizontais.

IMG_3049IMG_3050

Com mais de 5 metros de comprimento, o carro possui ampla lista de equipamentos e interior sofisticado, com bom acabamento, detalhes em madeira e alumínio e amplo espaço interno. Entre os equipamentos estão bancos de couro com massageador, luzes de LEDs, sistema de navegação com DVD player integrado, câmera traseira, entre outros.

IMG_3057

O novo Rexton W recebe novo visual interno e externo, além de novo motor. O jipão pode levar até sete passageiros e possui em sua lista de equipamentos encontramos navegador com tela touchscreen, bancos de couro com ajustes elétricos nos dianteiros, seis airbags, som com Bluetooth, climatizador automático, entre outros.

IMG_3056IMG_3055

A transmissão é automática E-Tronic de cinco marchas e a tração é 4×4 com reduzida, podendo ter apenas tração traseira, no modo 4×2. O Rexton W é equipado com transmissão automática E-Tronic, com cinco velocidades. Sob o capô está o motor 2.7 dentro da Euro 5 com 161 cv. Por R$ 149.900, chegará as lojas em janeiro.
Fotos | Henrique Rodriguez/Divulgação

por 27 de outubro de 2012 Salão de São Paulo, Ssangyong

Nova SsangYong Actyon Sports estará em São Paulo

actyon1
A sul-coreana SsangYong trará para o Salão de São Paulo a nova picape Actyon Sports, que passou por uma profunda reestilização e abandona o estilo “esquisitão”, até aqui sua mais destacada característica. Além deste modelo, a marca poderá trazer o conceito elétrico e-XIV, exibido recentemente em Paris. actyon2
A frente da picape foi o principal alvo das modificações, trazendo agora, um novo conjunto de para-choques, grades e faróis, mais imponente e atraente. A lateral recebe novos vincos e a traseira também é redesenhada, com novo formato nas lanternas e nova tampa da caçamba. As mudanças devem dar um bom fôlego ao modelo na briga com S10, Hilux, Amarok e Ranger. actyon3 Fonte | Ig Carros

por 10 de outubro de 2012 Salão de São Paulo, Ssangyong

SsangYong e-XIV concept tem suas primeiras imagens reveladas

sssayongexivconetp35
Com o objetivo de peitar Ford EcoSport e Nissan Juke nas ruas europeias, o conceito e-XIV da SsangYong já dá as caras. Com linhas totalmente futuristas, o veículo ainda está em desenvolvimento e, no Salão de Paris, sua versão conceitual deverá ser apresentada em uma variante sustentável: o motor do modelo em exposição deverá ser um elétrico. sssayongexivconetp31 Ainda em desenvolvimento, acredita-se que os motores deverão ser de até 1.6 litro, sobrealimentados, disponíveis em versões movidas à gasolina e também à diesel. Provavelmente, muitos detalhes ainda fogem de sua versão de produção definitiva, para as ruas. sssayongexivconetp33 Fonte | Autoblog.es

por 27 de setembro de 2012 Elétricos, Salão de Paris, Ssangyong

SsangYong e-XIV Concept será apresentado em Paris

SsangYong-e-XIV-2
Evolução do conceito XIV-2 apresentado no Salão de Genebra, em março, o SsangYong e-XIV será a principal atração da SsangYong no Salão de Paris no final deste mês. Sua principal novidade é a substituição de seu motor 1.6 a gasolina por um conjunto composto por um motor elétrico e suas baterias, que por sua vez podem ser recarregadas por um pequeno motor à gasolina. SsangYong-e-XIV-1
O e-XIV ainda se destaca pelo teto de vidro com células solares, que permite aumentar a claridade no interior do veículo e ainda recarregar as baterias. As dimensões, no entanto, não mudam: 4,16 m de comprimento, 1,79 m de largura, 1,57 m de altura e generosos 2,60 m de distância entre-eixos. Mais informações a respeito do SsangYong e-XIV serão divulgadas após o dia 27 de setembro, quando o Salão de Paris abre suas portas.
SsangYong-e-XIV-3

por 10 de setembro de 2012 Salão de Paris, Ssangyong

SsangYong revela Rexton W

rext23456
A SsangYong revelou as primeiras imagens oficiais do novo Rexton, que após as importantes mudanças passa a se chamar Rexton W. Por fora o carro recebe uma reestilização não tão profunda, já na parte mecânica recebe novas opções de motores. As informações ainda não são completas e referem-se ao modelo vendido na Coreia do Sul. rext23456445787
A frente recebe novos faróis, para-choques e grade, mudanças que conferem um novo ar ao crossover mas que ainda lembram o modelo antigo. Já a lateral tem poucas novidades, como as rodas com novo desenho e detalhes cromados, dependendo da versão. Na traseira as lanternas recebem leves mudanças, assim como o para-choques.
rext234564

Por dentro as mudanças ficam nos equipamentos, entre eles o sistema de partida por botão, câmera traseira, sensor de pressão nos pneus, novo sistema de som e navegação, além de uma melhora na qualidade dos materiais do acabamento. A transmissão pode ser manual ou automática, com consumo de 13,69 km/l e 13,15 km/l, respectivamente. rext2345644rext23456445
Os novos motores e-XDi e a nova caixa de câmbio E-Tronic, mais rápida e com seis velocidades, são as grandes novidades da parte mecânica. Este motor em sua versão de dois litros estreou no Actyon Sports, com 155 cavalos de potência e oferecendo maior economia se comparado aos anteriores, da família 270XDi. A tração pode ser integral ou 2WD.
rext234564457

por 25 de maio de 2012 Lançamentos, Ssangyong

SsangYong divulga teasers do novo Rexton

 Rexton (1)
Salva da falência há pouco mais de um ano pela Mahindra, a SsangYong continua a renovação de sua gama. Após o Korando, que vem fazendo relativo sucesso, e a nova Actyon Sports, é a vez do Rexton passar por uma profunda reformulação, mudando quase que totalmente, tanto a parte estética quanto a parte mecânica, para ser agora um modelo atual e com força neste disputado segmento. rexton-2
A fabricante coreana divulgou dois teasers da nova geração do modelo, suficiente para revelar muito a respeito de seu visual, com aspecto imponente propiciado pelas várias linhas retas. A parte frontal é mais arredondada e possui faróis com filetes de LED. A apresentação ocorrerá no próximo dia 24 e parte da gama de motores será compartilhada com o Korando.

por 14 de maio de 2012 Segredos, Ssangyong

SsangYong Korando: em busca de um lugar ao sol

Com pouco tempo de mercado e bons atributos, Korando
se mostra boa opção entre os SUV
Por Douglas Lemos
Korando CAPA
Modelo chega para avaliação e fica dois dias à disposição do Novidades Automotivas A 4ª geração do Ssangyong Korando impressiona. O design, obra do renomado estúdio italiano Giugiaro, sequer lembra em algum canto alguma das outras gerações do Sport Utility Vehicle (SUV). Por onde passa, o utilitário arranca olhares de admiração. É como se fosse um desfile, em que o modelo coreano é a atração principal. Quem está dentro do veículo parece estar em plena passarela e, só de olhar pra fora, já se nota a plateia torcendo o pescoço para acompanhar cada passo do charmoso utilitário. Korando Traseira
Design italiano é um dos pontos positivos do veículo
Convenhamos: o motivo de tanta atenção pode, além do belo design, também se estender aos – nada discretos – adesivos de teste-drive na cor verde, contrastando com o vermelho da carroceria. Cor que, por sinal, gerou muita desconfiança de quem o via. Por onde passei, não vi quem não dissesse que tinha gostado desse “laranja”. Tudo bem, eu concordo. Até porque o tom realmente parece ser mais um laranja ao vermelho constado no documento.

O centro das atenções

Korando [3]

Por onde passou, o Korando foi o centro das atenções. Olhares de admiração, desconfiados e surpresos acompanharam o SUV. Fui questionado sobre o carro por públicos de diversas faixas etárias: de crianças de 8 anos – que, no auge dos meus 20 anos, me chamaram de tio – à senhores de 60 que perguntaram sobre o desempenho, conforto ao rodar, acabamento interno, equipamentos e preço. Ao final dos questionamentos, perguntava se eles conheciam a marca ou já tinham visto o modelo. Poucos conheciam a marca e, somente uma pessoa disse ter visto um Korando transitando pelas ruas de Brasília. Com preços a partir de R$ 89.900, a versão topo de linha do SsangYong pode chegar aos R$ 120 mil. A versão avaliada pelo Novidades Automotivas foi a intermediária GL automática, que sai da loja por R$ 102.900 e oferece bons itens de conforto e conveniência. Mas, aos poucos, nota-se a ausência de alguns destes itens: sensores de estacionamento, sensores crepusculares e de chuva poderiam ser de série desde a versão de entrada. A abertura do porta-malas por acionamento elétrico, tanto na chave, quanto no painel, também não faria mal ao coreano.   Interior

Korando Painel
Acabamento é simples, mas os encaixes são corretos e não há rebarbas

Ao entrar no carro, já se nota que o belo design da carroceria também se estende ao habitáculo. O painel é bonito e os materiais utilizados são de boa qualidade. Não existem rebarbas, encaixes mal feitos ou qualquer outro fator que prejudique o acabamento interno. O volante é forrado em couro e oferece comandos do controle de som e botões para passar a marcha – quando utilizado o modo sequencial. O defeito fica por conta do aro do volante, bastante fino, o que prejudica na hora de pegar. Os bancos de couro não fazem parte desta versão. São oferecidos como acessório pela concessionária, assim como o sistema de navegação sensível ao toque. Korando Interior FrenteKorando Interior Traseira
Interior é espaçoso: passageiros do banco traseiro viajam com conforto O espaço interno impressiona. Com o banco dianteiro regulado para meus 1,72 metros, os passageiros de trás andaram com bastante folga. Quatro pessoas viajam com tranquilidade extrema. Com o 5º passageiro o conforto diminui, mas nada drástico. Pode-se fazer uma viagem bem confortável com cinco passageiros. Mas, analisando melhor, notei a ausência de alguns itens de conforto. Um dos principais, é a ausência da função one touch em todos os vidros. Esta, só está presente na janela do motorista e apenas ao descer. O meu pequeno – comparado à este – Idea tem esta função nos quatro vidros e, por mais que pareça banal, ajuda bastante: com esta função o motorista mantém a mão esquerda longe do volante por menos tempo. Os bancos são bastante confortáveis e abraçam muito bem o condutor nas curvas. Porta-trecos [1]Porta-trecos [2]
Outro ponto positivo é a presença de vários porta-trecos espalhados pelo interior do SUV Outro fator à ser elogiado no habitáculo do veículo, é a quantidade de porta-trecos. São dois porta-copos ao lado do freio do mão e uma gaveta com pouco mais de 10 cm de profundidade abaixo do apoia-braço central. Nesta, ainda há uma bandeja de menor profundidade – que pode ser retirada – e que ocupa metade do espaço do porta-trecos. Ainda há mais um à frente do câmbio e duas gavetas, uma pequena abaixo dos comandos do ar-condicionado e outra no topo do painel, ao centro. Porta-malas [1]Porta-malas [2]
Porta-malas é espaçoso. Itens como macaco, chave de roda e triângulo estão bem alocados O porta-malas apresenta bom espaço (são 486 litros, segundo a importadora), e pode ser ampliado com o rebatimento dos bancos. Os aparatos para uma troca de pneu se encontram logo abaixo de uma capa – que fica acima do estepe – bem divididos em espécies de compartimentos. Isso evita que se ouça o deslocamento destes objetos ao fazer uma curva. Dentro do porta-malas, algo me chamou atenção: a ausência de uma luz de iluminação. A ergonomia é muito boa. Os comandos estão à mão e são de fácil entendimento. No volante, existem os comandos do som para regulagem de volume e troca de faixas, além da escolha do modo do sistema multimídia, que por sua vez dispõe de GPS, Rádio AM/FM, CD/MP3 Player e conexão USB e para Ipod. Os comandos dos limpadores do para-brisa, acendimento dos faróis e seta estão bem à mão. Além destes, ainda há a haste do Cruise Control (controle que mantém uma velocidade constante, vulgo “piloto automático”) e do modo econômico, encontrada à direita e abaixo. Esta, de fácil manuseio e boa localização: não precisa tirar a mão do volante para procurá-la. Korando Painel[2]
O painel apresenta iluminação ambar, de bom gosto e de fácil leitura. A iluminação tem a intensidade certa e não agride os olhos ao dirigir à noite. O indicador de marchas só entra em ação quando o câmbio é colocado na posição sequencial.

Ao rodar

Korando [4]

O desempenho é bem satisfatório. O motor 2.0 16v de 175 cavalos é bom e responde bem. Mas o câmbio automático parece demorar a entender o recado passado pelo acelerador. Em arrancadas, o Korando apresenta uma certa demora para obedecer. Partindo da imobilidade, o motor parece se arrastar, e só deslancha a partir dos 2 mil RPM quando então ganha velocidade. O SUV é mais feroz a partir da segunda marcha. Em retomadas, o câmbio parece procurar a marcha certa para, então, começar o ganho de velocidade. No geral, o desempenho é bom, mas as arrancadas de emergência devem ser evitadas. Nelas, o Korando permanece extremamente sonolento. O motor, apesar de ser movido à Diesel, transmite pouco barulho para o habitáculo e vibra pouco quando parado. Benditos coxins.
Korando Montagem motor
Apesar de pensar muitas vezes antes de agir, o câmbio automático dá um conforto sem tamanho ao veículo. Encarar o trânsito das grandes cidades tem ficado cada vez mais estressante. Não para quem está à bordo do Korando. O câmbio do coreano ainda trás a opção sequencial. As trocas podem ser realizadas em dois botões no volante, ou em uma aba ao lado esquerdo da alavanca de câmbio: empurrando para frente segue para a marcha seguinte, para trás uma marcha abaixo. Mas, mesmo assim, as trocas continuam lentas. Roda Korando
Pneus filtram bem as irregularidades do solo Calçado com rodas de 18” e pneus Nexen 225/55, em conjunto com a suspensão com uma calibragem muito equilibrada, o Korando roda macio. É impressionante a capacidade de absorção de impactos. A suspensão filtra as irregularidades sem tirar o conforto do carro. É como se estivesse rodando em um asfalto normal, com apenas algumas ranhuras que transmitem ruídos para a carroceria. Ruídos que, por sinal, são poucos. Tanto do asfalto, quanto do motor. O isolamento acústico é de extrema qualidade e filtra bem os ruídos do motor e do asfalto. Apenas o necessário chega ao habitáculo. Testado em trajeto urbano, também encarei um trecho de cerca de 400 metros (ida e volta) fora do asfalto. O trecho continha estrada de chão, pedras, muita poeira, buracos e valas inacessíveis pra um carro de passeio normal. Mas o Korando tirou de letra. Dentro do carro, sentí apenas a inclinação da carroceria. A suspensão muito bem acertada concluiu sua tarefa com rigor e passou pelo caminho com muita tranquilidade e conforto. Em perímetro urbano e com o ar-condicionado ligado em 90% do tempo, o Korando mostrou vigor e também economia: o consumo apontado pelo computador de bordo foi de 10.5 km/l. Vale, também, ressaltar que as unidades de medida do computador de bordo do veículo seguem o gosto europeu de medida (litros/100 km).

Veredicto

Korando [5]

O Korando, sem dúvidas é uma excelente compra. Para quem procura um SUV bonito, confortável, bem acabado e com bom desempenho, o SsangYong se encaixa na proposta e mostra ser uma compra válida. Com um marketing agressivo e lotes de importação em maiores, seria sem dúvida, uma pedra no sapato de outros SUV da mesma faixa de preço, como o Chevrolet Captiva e o Honda CR-V. Aprovado por Novidades Automotivas, o coreano pode ser a peça chave no crescimento da marca no país. Fotos | Douglas Lemos * Agradecimentos ao Grupo Naju pelo empréstimo da unidade avaliada Os fabricantes interessados em ceder veículos para avaliação, podem entrar em contato conosco através do e-mail: na.contato@yahoo.com.br

por 27 de abril de 2012 Avaliação, Ssangyong, Testes

SsangYong Korando: em busca de um lugar ao sol

Com pouco tempo de mercado e bons atributos, Korando se mostra boa opção entre os SUV Por Douglas Lemos
Korando CAPA
A 4ª geração do Ssangyong Korando impressiona. O design, obra do renomado estúdio italiano Giugiaro, sequer lembra em algum canto alguma das outras gerações do Sport Utility Vehicle (SUV). Por onde passa, o utilitário arranca olhares de admiração. É como se fosse um desfile, em que o Korando é a atração principal. Quem está dentro do veículo parece estar em plena passarela e, só de olhar pra fora, já se nota a plateia torcendo o pescoço para acompanhar cada passo do charmoso modelo coreano. Korando Traseira
Convenhamos: o motivo de tanta atenção pode, além do belo design, também se estender aos – nada discretos – adesivos de teste-drive na cor verde, contrastando com o vermelho da carroceria. Cor que, por sinal, gerou muita desconfiança de quem o via. Por onde passei, não vi quem não dissesse que tinha gostado desse “laranja”. Tudo bem, eu concordo. Até porque o tom realmente parece ser mais um laranja ao vermelho constado no documento.

O centro das atenções

Korando [3]

Custando a partir de R$ 89.900, o modelo pode chegar a custar R$ 119.900 a versão avaliada foi a intermediária GL automática, que custa R$ 102.900 e oferece bons itens de conforto e conveniência. Mas nota-se, aos poucos, a falta de alguns destes itens. As principais ausências se dão pela falta de sensores de estacionamento, sensores crepusculares e de chuva. A abertura do porta-malas por acionamento elétrico, tanto na chave, quanto no painel, também não faria mal ao coreano. Por onde passou, o Korando foi o centro das atenções. Olhares de admiração, desconfiados e surpresos acompanharam o SUV. Fui questionado sobre o carro por públicos de diversas faixas etárias: de crianças de 8 anos – que, no auge dos meus 20 anos, me chamaram de tio – à senhores de 60 que perguntaram sobre o desempenho, conforto ao rodar, acabamento interno, equipamentos e preço. Ao final dos questionamentos, perguntava se eles conheciam a marca ou já tinham visto o modelo. Poucos conheciam a marca e, somente uma pessoa disse ter visto um Korando transitando pelas ruas de Brasília.

Interior

Korando Painel

Ao entrar no carro, já se nota que o belo design se estende também ao habitáculo. O painel é bonito e os materiais utilizados são de boa qualidade. Não existem rebarbas, encaixes mal feitos ou qualquer outro fator prejudicial ao acabamento interno, que é excelente. o volante é forrado em couro e com comandos do controle de som e botões do modo sequencial do câmbio. Mas, por outro lado, tem seu aro bastante fino. Os bancos de couro não fazem parte desta versão. São oferecidos como acessório pela concessionária. O sistema de navegação, com touch screen, também não é original do veículo e foi instalado à parte. Korando Interior FrenteKorando Interior Traseira O espaço interno impressiona. Com o banco dianteiro regulado para meus 1,72 metros, os passageiros de trás andaram com bastante folga. Quatro pessoas viajam com tranquilidade extrema. Com o 5º passageiro o conforto diminui, mas nada drástico. Pode-se fazer uma viagem bem confortável com cinco passageiros. Mas, analisando melhor, notei a ausência de alguns itens de conforto. Um dos principais, é a ausência da função one touch em todos os vidros. Esta, só está presente na janela do motorista e apenas ao descer. O meu pequeno – comparado à este – Idea tem esta função nos quatro vidros e, por mais que pareça banal, ajuda bastante: com esta função o motorista mantém a mão esquerda longe do volante por menos tempo. Os bancos são bastante confortáveis e abraçam muito bem o condutor nas curvas. Porta-trecos [1]Porta-trecos [2] Outro fator à ser elogiado no habitáculo do veículo, é a quantidade de porta-trecos. São dois porta-copos ao lado do freio do mão e uma gaveta com pouco mais de 10 cm de profundidade abaixo do apoia-braço central. Nesta, ainda há uma bandeja de menor profundidade – que pode ser retirada – e que ocupa metade do espaço do porta-trecos. Ainda há mais um à frente do câmbio e duas gavetas, uma pequena abaixo dos comandos do ar-condicionado e outra no topo do painel, ao centro. Porta-malas [1]Porta-malas [2] O porta-malas apresenta bom espaço (são 486 litros, segundo a importadora), e pode ser ampliado com o rebatimento dos bancos. Os aparatos para uma troca de pneu se encontram logo abaixo de uma capa – que fica acima do estepe – bem divididos em espécies de compartimentos. Isso evita que se ouça o deslocamento destes objetos ao fazer uma curva. Dentro do porta-malas, algo me chamou atenção: a ausência de uma luz de iluminação. A ergonomia é muito boa. Os comandos estão à mão e são de fácil entendimento. No volante, existem os comandos do som para regulagem de volume e troca de faixas, além da escolha do modo do sistema multimídia, que por sua vez dispõe de GPS, Rádio AM/FM, CD/MP3 Player e conexão USB e para Ipod. Os comandos dos limpadores do para-brisa, acendimento dos faróis e seta estão bem à mão. Além destes, ainda há a haste do Cruise Control (controle que mantém uma velocidade constante, vulgo “piloto automático”) e do modo econômico, encontrada à direita e abaixo. Esta, de fácil manuseio e boa localização: não precisa tirar a mão do volante para procurá-la. Korando Painel[2]
O painel apresenta iluminação ambar, de bom gosto e de fácil leitura. A iluminação tem a intensidade certa e não agride os olhos ao dirigir à noite. O indicador de marchas só entra em ação quando o câmbio é colocado na posição sequencial.

Ao rodar

Korando [4]

O desempenho é bem satisfatório. O motor 2.0 16v de 175 cavalos é bom e responde bem. Mas o câmbio automático parece demorar a entender o recado passado pelo acelerador. Em arrancadas, o Korando apresenta uma certa demora para obedecer. Partindo da imobilidade, o motor parece se arrastar, e só deslancha a partir dos 2 mil RPM quando então ganha velocidade. O SUV é mais feroz a partir da segunda marcha. Em retomadas, o câmbio parece procurar a marcha certa para, então, começar o ganho de velocidade. No geral, o desempenho é bom, mas as arrancadas de emergência devem ser evitadas. Nelas, o Korando permanece extremamente sonolento. O motor, apesar de ser movido à Diesel, transmite pouco barulho para o habitáculo e vibra pouco quando parado. Benditos coxins.
Korando Montagem motor
Apesar de pensar muitas vezes antes de agir, o câmbio automático dá um conforto sem tamanho ao veículo. Encarar o trânsito das grandes cidades tem ficado cada vez mais estressante. Não para quem está à bordo do Korando. O câmbio do coreano ainda trás a opção sequencial. As trocas podem ser realizadas em dois botões no volante, ou em uma aba ao lado esquerdo da alavanca de câmbio: empurrando para frente segue para a marcha seguinte, para trás uma marcha abaixo. Mas, mesmo assim, as trocas continuam lentas. Roda Korando Calçado com rodas de 18” e pneus Nexen 225/55, em conjunto com a suspensão com uma calibragem muito equilibrada, o Korando roda macio. É impressionante a capacidade de absorção de impactos. A suspensão filtra as irregularidades sem tirar o conforto do carro. É como se estivesse rodando em um asfalto normal, com apenas algumas ranhuras que transmitem ruídos para a carroceria. Ruídos que, por sinal, são poucos. Tanto do asfalto, quanto do motor. O isolamento acústico é de extrema qualidade e filtra bem os ruídos do motor e do asfalto. Apenas o necessário chega ao habitáculo. Testado na cidade, também encarei um trecho de cerca de 400 metros (ida e volta) fora do asfalto. O trecho continha estrada de chão, pedras, muita poeira, buracos e valas inacessíveis pra um carro de passeio normal. Mas o Korando tirou de letra. Dentro do carro, sentí apenas a inclinação da carroceria. A suspensão muito bem acertada concluiu sua tarefa com rigor e passou pelo caminho com muita tranquilidade e conforto. Em perímetro urbano e com o ar-condicionado ligado em 90% do tempo, o Korando mostrou vigor e também economia: o consumo apontado pelo computador de bordo foi de 10.5 km/l. Vale, também, ressaltar que as unidades de medida do computador de bordo do veículo seguem o gosto europeu de medida (litros/100 km).

Veredicto

Korando [5]

O Korando, sem dúvidas é uma excelente compra. Para quem procura um SUV bonito, confortável, bem acabado e com bom desempenho, o SsangYong se encaixa na proposta e mostra ser uma compra válida. Com um marketing agressivo e lotes de importação em maiores quantidades, seria sem dúvida, uma pedra no sapato de outros SUV da mesma faixa de preço, como o Chevrolet Captiva e o Honda CR-V. Aprovado por Novidades Automotivas, o coreano pode ser a peça chave no crescimento da marca no país. Fotos | Douglas Lemos * Agradecimentos ao Grupo Naju pelo empréstimo da unidade avaliada Os fabricantes interessados em ceder veículos para avaliação, podem entrar em contato conosco através do e-mail: na.contato@yahoo.com.br

por 26 de abril de 2012 Avaliação, Brasil, Ssangyong

Ssangyong Korando chega para avaliação

Korando [4] Em breve o Novidades Automotivas proporcionará aos seus leitores a oportunidade de conhecer melhor um dos modelos da coreana Ssangyong: o Korando. Essa experiência nos ajuda a sair, mais uma vez, na frente: seremos o primeiro blog brasileiro à avaliar o modelo. Isso só valoriza ainda mais o nosso trabalho e mostra o respeito que as montadoras passaram à ter conosco, das mídias virtuais. Korando [3] O veículo foi, gentilmente, cedido pela rede de concessionárias Naju e passará por uma avaliação, que estará no ar nesta quinta-feira. A versão do veículo cedido é a intermediária GL automática, que parte dos R$ 102.900. O motor é um 2.0 16v movido à Diesel, desenvolvido pela montadora coreana. O veículo conta com tração dianteira e sistema 4×4 inteligente. Entre os itens de segurança estão: freios ABS, ESP, 6 airbags – dois frontais, dois laterais e dois do tipo cortina – e ARP (Active Rool-over Protection), um sistema que ajuda na frenagem reduzindo o risco de capotamento. * Agradecimentos ao Grupo Naju pelo empréstimo da unidade avaliada. Fotos | Douglas Lemos

por 25 de abril de 2012 Avaliação, Ssangyong